domingo, 28 de fevereiro de 2010

Belo álbum de Peruíbe no PICASA


A foto da postagem é apenas uma das belas fotos de um álbum do Picasa que eu descobri. Um ótimo trabalho, que merece ser divulgado. Vejam aqui essas imagens notáveis da terra que tanto amamos.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Semana de combate à dengue em Peruíbe e uma foto simbólica


Tenho de agradecer ao internauta Marcelo, por mais uma sugestão de postagem. Assim não dá, esses insurretos me dando idéias. Vejam o comentário dele aqui. E logo abaixo....ah, leiam e entenderão !!!


Semana de combate à dengue em Peruíbe


Entre os dias 22 e 26 de fevereiro o Departamento de Vigilância Epidemiológica estará com uma equipe composta de seis agentes de endemia, mais o reforço extra de 40 estagiários, convocados para intensificar um trabalho voltado para orientação da população quanto à eliminação de materiais que possam servir de criadouro para o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Todos os envolvidos na ação, munidos de panfletos contendo informações e alertas sobre a doença, abordam munícipes de casa em casa, sensibilizando-os para a remoção de materiais sucateados e do lixo acumulado no interior das residências. Nesses dias a Vigilância Epidemiológica tem como apoio um caminhão para a retirada de todo material descartado.Além dos seis agentes de endemia que estão coordenando os estagiários durante o mutirão, outros 14 agentes da área, estão mobilizados nos locais onde já foram confirmados casos de dengue, a fim de extinguir possíveis criadouros. As principais dificuldades encontradas pelos agentes são as casas de veraneio que permanecem fechadas por muito tempo, onde a falta de manutenção e acúmulo de água em ambientes propícios oferecem riscos para a proliferação do mosquito.
Mais informações ligue para F: 3453-2049 / 3455-8403 / 3456-1872

Prestem atenção a esta parte:


"As principais dificuldades encontradas pelos agentes são as casas de veraneio que permanecem fechadas por muito tempo, onde a falta de manutenção e acúmulo de água em ambientes propícios oferecem riscos para a proliferação do mosquito."

E agora o comentário DEMOLIDOR do Marcelo:

"Pq não se mobilizaram durante a temporada, quando grande parte das casas de veraneio estavam ocupadas?

Fato é que, nos 4 anos da gestão anterior, não mais do que 3 de janeiro e os agentes já passavam na minha casa de veraneio no Portinho."

Pois é...e deixaram esse trabalho PARA DEPOIS DA TEMPORADA, COM MUITAS CASAS DE VERANEIO FECHADAS.

Sobre a foto, reflitam quanto ao seu caráter simbólico. Lá no RIO DE JANEIRO, com todos os seus problemas, a campanha começou em
NOVEMBRO de 2009.

Fonte primária da piada, digo, da notícia:
prefeitura

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Alagamentos em Peruíbe, 25 de fevereiro de 2010


A foto do jornal O REPÓRTER REGIONAL, tirada no bairro Caraminguava, mostra como esta cidade está frágil, ante o risco de uma nova enchente. Os fatos estão aí, e veremos quanto tempo irá demorar para que as tais  obras para anti-enchentes sejam iniciadas.

Aliás, leiam este artigo do jornal que linquei aqui. Notícia preocupante:

Peruíbe terá obras para evitar enchentes


"A prefeita Milena Bargieri e o secretário de governo Gilson Bargieri, se reuniram com moradores do Jardim das Flores, atingido pelas fortes chuvas, para discutir medidas de prevenção contra as enchentes.

A empresa Enplan se comprometeu a iniciar, a partir do dia 08, serviços de manutenção de guias e sarjetas nas ruas Sete e Nove, a fim de escoar as águas que ficam empoçadas. O Departamento de Obras é o responsável em fiscalizar os serviços.

A prefeitura também já solicitou licença dos órgãos ambientais para desassoreamento do rio e conseguiu aprovação, por meio do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento, para a execução das obras de macro e microdrenagem.

A equipe administrativa informou ainda que alternativas estão sendo estudadas e discutidas com a Caixa Econômica Federal. Dentro de alguns dias, a prefeita Milena Bargieri intermediará nova reunião marcada entre os representantes do Jd. das Flores e técnicos da Caixa Econômica Federal, em busca de mais soluções para os moradores."

O certo seria dizer, que O JARDIM DAS FLORES terá obras para evitar enchentes. O artigo não cita vários bairros, que como o da foto, estão sob risco devido a chuvas severas. Entendo que o local citado é problemático, mas e o restante do município? E então ???

Jornal O Repórter Regional : greve da Intersul em Peruíbe


Cerca de 40 vans da JE Turismo estão substituindo os ônibus da Intersul, em Peruíbe. Isso porque os 120 empregados da empresa responsável pelo transporte coletivo no Município, estão de braços cruzados. A aprovação da greve, iniciada à zero hora de hoje, foi deliberada em assembléia realizada no fim da tarde de ontem na Cidade.
A assessoria de comunicação informou que a para quem depende do transporte público no Município, a passagem está custando apenas R$ 1,00, durante a greve, o que representa menos da metade do que era pago até ontem. Porém, a assessoria avisa que as vans não estão transportando passageiros na zona rural, como na região do Bambu, Bananal e também na Barra do Una, devido às más condições das estradas destes locais quando chove.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, Valdir de Souza Pestana, afirmou que a greve deve se espalhar para os municípios vizinhos. “Os trabalhadores de Itariri, Pedro de Toledo e Registro, mais o pessoal da garagem de apoio de apoio, em Santos, querem aderir ao movimento”.
Pestana afirmou que a paralisação foi a única alternativa que os empregados tiveram para pressionar a empresa a negociar o reajuste salarial. Os trabalhadores querem reajuste de 20% em média e justificam o pedido em função do aumento do valor da tarifa, que passou de R$ 1,95 para R$ 2,20.
“Enquanto isso, os salários dos trabalhadores estão defasados. O que os trabalhadores querem é uma equiparação com o que recebem os profissionais que exercem as mesmas funções em outros municípios da região”.
Pestana disse que a intenção é obter o mesmo salário dos profissionais de Itanhaém. “Lá, o salário-base é de R$ 1.038,00, enquanto que o praticado em Peruíbe é de apenas R$ 866,00”.
Pestana declarou que em reunião com os representantes da empresa, a direção da Intersul informou que não teria condições de bancar o reajuste pleiteado pelos funcionários. “O argumento da empresa é de que nos últimos dois anos não houve aumento da tarifa e que agora não haveria de conceder o reajuste. Realizaremos uma assembléia para analisar o movimento nesta quinta-feira, às 15 horas”, aponta.
Ontem, Pestana esteve na comissão de transportes da Cidade explicando o movimento.

Sindicato pede compreensão da comunidade

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Santos e Região (STTRSR), pede a compreensão e colaboração da comunidade do Município e afirma que, a greve também é fruto da falta de diálogo da Intersul. Segundo a entidade, a companhia de transporte coletivo de passageiros chega também não paga as horas extras aos trabalhadores, que segundo ela, são diariamente desrespeitados em seus direitos básicos.
A categoria também afirma que os descansos semanais remunerados, comuns em qualquer firma séria, na Intersul não existem e que as relações de trabalho na empresa são arcaicas.
O sindicato diz ainda que as férias, que Getúlio Vargas criou com a CLT há quase 70 anos, também não são pagas como manda a lei. E que as avarias e multas são descontadas nos holerites, em qualquer circunstância.

Entidade diz que Intersul não respeita usuários e autoridades

Segundo o Sindicato, os trabalhadores também exigem participação nos lucros e resultados, além de cobrar melhor relacionamento da empresa com os empregados.
A categoria reivindica ainda benefícios comuns na maioria das empresas, como vale-refeição, plano de saúde e odontológico, seguro de vida e contra terceiros.
O Sindicato dos Rodoviários já explicou o problema à Prefeitura, Câmara Municipal, associações em geral e imprensa, mas a segundo a entidade, a Intersul continua desrespeitando os trabalhadores.

Fretamento e cargas
O Sindicato dos Rodoviários de Santos e Região realiza amanhã, às 10h30, assembléia com os profissionais do setor de transportes de fretamento e turismo, num total de 1.800 rodoviários, para aprovar a pauta de reivindicação deste ano a ser negociada com a classe patronal. Ainda nesta sexta-feira, às 20h30, a reunião será para o pessoal que presta serviços em empresas de carga líquidas e secas.

FONTE: O Repórter Regional.

Peruíbe sofre com a greve da INTERSUL e ALAGAMENTOS



Nesta manhã, os alagamentos já são um fato, resultado de uma noite de chuva intensa. Ruas do Caraguava e de diversos bairros já estão intransitáveis. E tem os motoristas da INTERSUL parados, o que contribui para a bagunça na cidade, embora eu seja favorável à greve.

Ela é mais do que justa, pois uma das reinvindicações é uma frota melhor, ou seja, ônibus decentes para os usuários. E não adianta a população (os usuários principalmente) descer a lenha nesses funcionários descontentes. É no que dá uma prefeitura que, por motivos desconhecidos, favorece um monopólio, deixando que uma única empresa de transporte público preste esse "serviço" na cidade.

Creio que a administração pública municipal merece ser questionada quanto a isso, a agir como se apenas a intersul tivesse interesse em atuar aqui. Uma administração que já terá de encarar novamente o problema dos alagamentos.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Peruíbe, a INTERSUL em greve !!!

A partir da meia noite desta quinta, a tristemente célebre INTERSUL entrará em greve por tempo indeterminado. Todo transporte coletivo dentro da cidade ficará PARALISADO, já que nesta terra das maravilhas, apenas essa empresa atua. É um inexplicável monopólio prejudicando os usuários, muitos dos quais trabalhadores, que terão problemas para irem aos seus locais de trabalho.

É no que deu a atitude a empresa em tratar de forma tão opressiva seus funcionários, que recebem salários...que não compensam os sacrifícios exigidos. Questão salarial, e a qualidade dos veículos, simplesmente péssimos, contribuiram para isso.

A linha ITANHAÉM / PEDRO DE TOLEDO também não funcionará. Me pergunto como se virarão muitos itaririenses e pedrotoledenses, os quais só contam com essa empresa, para trabalharem em Peruíbe e Itanhaém. Será uma bagunça.

Ah, sim..... alguns veículos rodoviários também ficarão nas garagens. A linha CAJATI-SANTOS não funcionará.
 

E a prefeita permitiu aumento de tarifa por um serviço picareta.....por favor, quanta competência !!!!

Estava esquecendo:


Dentro de algumas horas, amanhecerá em Peruíbe. Chove torrencialmente, e alagamentos serão inevitáveis. Juntem isso à greve, e teremos o CAOS.


Caramba, como eu sou otimista. Melhor ir dormir.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Em Peruíbe só faltam os CARTAZES estilo CORÉIA DO NORTE


                        COMO É GOSTOSO VER NOSSA CIDADE CRESCER

"A gente logo nota quando uma cidade encontra o caminho do desenvolvimento. Novos investimentos são vistos por todos os lados, a população anda mais sorridente, o astral aumenta pelas ruas. É isso que vemos em Peruíbe. Aliás, o cenário combina perfeitamente com sua jovialidade: 51 anos de fundação. Um aniversário muito comemorado e que dá a certeza de que Peruíbe vai muito bem, obrigado"

Essas belas palavras são um oferecimento do BOLETIM OFICIAL do município.O ministério de propaganda da Coréia do Norte deve ter feito algum convênio com a prefeitura. É uma melação estilo nação do socialismo jucheísta. Agradeço ao Marcelo, um habitual visitante deste blog , por me informar desta pérola, que pode ser encontrada entre as páginas 6 e 7 do último BOM.

Isso é tirar um barato com a cara dos peruibenses. O astral está em queda, pois a temporada acabou e com ela se acabaram muitos empregos, que já não eram grande coisa, mas eram empregos. A cidade voltou a mais um ciclo de nove meses com gente desempregada sobrando. Eu não vejo rostos sorridentes, vejo descontentamento. Nos subterrâneos das repartições publicas municipais, a dissidência para com a BARGIERICRACIA cresce e lança raízes. Investimentos por todos os lados? Então tá, quero ver quando começam as prometidas obras contra enchentes, mais do que necessárias, para que os tais "investimentos por todos os lados" não sejam prejudicados.

Do jeito que vai, logo veremos cartazes de propaganda típicos dos norte-coreanos, com um povo satisfeito, heróico, disciplinado e obediente à prefeitura. Não é ironia. Vejam o quadro abaixo:


Nele, o falecido KIM IL SUNG,o GRANDE LÍDER, em uma pintura no estilo do realismo socialista, orienta o seu povo, falando de algum grande projeto que visa engrandecer ainda mais a nação que ele fundou. Sabem, eu acho que um cara da nossa política adoraria ser retratado dessa forma, tão gloriosa.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Dengue avança pelo litoral paulista

REJANE LIMA E ELDER OGLIARI - Agencia Estado


SANTOS E PORTO ALEGRE - A Baixada Santista já tem pelo menos 611 casos de dengue confirmados neste ano. Líder no número de casos na região, Guarujá realiza a Semana de Mobilização de Combate à Dengue, no bairro Pae Cará, o mais populoso do distrito de Vicente de Carvalho. Duas pessoas morreram de dengue no Guarujá neste ano e há outras oito mortes suspeitas da doença.



De acordo com a Secretária de Saúde do Guarujá, há 312 casos de dengue confirmados neste ano e outros 660 aguardando a confirmação. Em todo ano passado, foram registrado 81 casos na cidade. A secretária já confirmou a ocorrência de duas mortes, porém ainda não se sabe se aconteceram por dengue hemorrágica ou devido a alguma complicação de dengue clássica.



São Vicente, a cidade número dois no ranking de dengue da Baixada, já contabiliza 165 casos em um universo de 480 notificações. Duas mulheres morreram na sexta-feira na cidade e os sintomas indicam que a causa foi dengue. A vizinha Praia Grande, que no mesmo período do ano passado não havia confirmado nenhum caso, soma 40 confirmados e outros 100 suspeitos. Em todo ano de 2009, houve 46 casos de dengue no município.



Em Santos, a única morte confirmada por dengue é a de um menino de 9 anos, que morreu em 10 de fevereiro, divulgou a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Saúde. Neste ano, a cidade possui 94 casos confirmados da doença e 203 suspeitos, em um montante de 388 notificações. No mesmo período do ano passado, havia 13 casos confirmados, dos 130 registrados em todo ano de 2009.



Rio Grande do Sul



A Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul criou uma força-tarefa para tentar conter um surto de dengue em Ijuí, no noroeste do Estado. No final de semana, cerca de 50 pessoas foram atendidas com sintomas da doença pelos serviços municipais de saúde. Sete casos foram confirmados.



Hoje, as equipes da secretaria começaram a vasculhar ruas, casas e terrenos baldios para pulverizar inseticida em focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. O último surto de dengue no Rio Grande do Sul ocorreu em 2007, em Giruá, onde 268 pessoas foram infectadas.

FONTE: ESTADÃO

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Blogueiros e Jornalistas

Hoje em dia a mídia principal tem que batalhar na dura competição pela internet. Blogueiros vêm ganhando audiência e mais e mais jornais estão à beira da falência. A razão é simples, blogueiros de internet são muito mais objetivos, genuínos e livres que o povo que trabalha para agências de notícias. Repórteres e âncoras de jornais freqüentemente questionam por que as pessoas estão blogando na internet. O que eles realmente não compreendem é por que blogueiros fazem de graça o que eles, repórteres, não podem realizar por dinheiro.

Basicamente, blogueiros fazem um trabalho melhor porque eles não escrevem por dinheiro. Pessoas começam a escrever mal tão logo elas escrevam por pagamento. Um autor só pode permanecer objetivo quando escrever pelo interesse dos fatos que ele ou ela está revelando. Autores que escrevem por dinheiro são muito parecidos com prostitutas. Seu objetivo é agradar os chefes da mídia e agradar o gosto do público leitor. Mais ainda, como prostitutas, é impossível para elas obter prazer de sua atividade. Um blogueiro dedicado nunca procura agradar o gosto de alguém. Muito freqüentemente ele trabalha em desafio de todas as políticas e negócios oficiais, escrevendo somente pelo prazer de pensar e compartilhar com outros suas conclusões pessoais.

Jornalistas e blogueiros são tão diferentes. Um verdadeiro blogueiro não pode escrever para a mídia, assim como um repórter de jornal não pode "blogar".

Todos que procurem emprego em qualquer agência de notícias, sem considerar se é jornal, TV ou rádio, devem estar preparados para seguir todas as instruções de correção política, tais como não ofender minorias étnicas, não ferir sentimentos religiosos, não pisar em nenhum dedão gordo do monstro nuclear, não morder a mão da indústria química de alimentos que os dá de comer etc...

Com todas essas restrições, a mente do jornalista está sendo reduzida a um quadro de limitações e, como um pássaro na gaiola, não pode se mexer. A mente de um blogueiro é um pássaro livre, voando sem fronteiras, vendo tudo como realmente é. O blogueiro pode, além do mais, dar voz a sua mente sem constrangimentos. A inteligência ou educação básica do blogueiro não é importante, o que importa mais é que essa pessoa seja mestre de seus próprios pensamentos e seu intelecto se mantenha crescendo. Em contraste, a mente de um jornalista inevitavelmente chafurda em uma lama de ignorância e apatia e portanto, degrada-se constantemente.

Se você está procurando um emprego na grande mídia, você vai ter que obedecer todas as regras deles. Finalmente, você vai sentir como se tivesse recebido um convite para ir a uma discoteca e, uma vez chegando, encontrasse todos dançando de roupas de baixo. Mais tarde você descobre que, tirando aqueles que estão naturalmente incapazes, há, de fato, alguns bons dançarinos que vestem roupas de baixo somente por que eles têm que alimentar suas famílias. Se você se juntar à dança dos incapazes, então, em alguns anos, você vai descobrir que você, também, está incapaz e que você não pode mais dançar sem roupas de baixo. Parabéns, você se tornou um jornalista.

Outubro de 2007




O texto acima é da blogueira Ucraniana Elena Filatova, a moça da foto. Se não a conhece, recomendo a fonte do texto: Elena Filatova 

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Peruíbe 51 anos, caninha 51 e uma péssima idéia

Existe gente nesta cidade que precisa mais é ficar calada, tamanho é o estrago que costumam gerar. Gente que em ocasião recente, dizia defender uma "boa idéia", mas francamente, precisava é ficar em silêncio, para não queimar o filme de Peruíbe.


Soube pelo CHAPA BRANCA jornal MATA ATLÂNTICA (que já faz campanha a favor do Gilson Bargieri), que "pessoas ligadas ao governo de Peruíbe tentaram articular uma festa de aniversário em grandes proporções, com o patrocínio da cachaça 51..." Entenderam a idéia? Caninha 51....peruíbe 51 anos....tudo a ver !!!!!!


Mas, como a proposta foi elaborada em Janeiro, muito tarde, não engrenou. Menos mal, pois está cidade já foi prejudica demais por idéias patéticas. Transformar a TERRA DA ETERNA JUVENTUDE EM TERRA DOS ETERNOS CACHACEIROS. Essas figuras não têm noção.


O Álcool é já um problema grave em Peruíbe, principalmente na temporada, algo para o qual nossos líderes fecham os olhos, pois o movimento turístico não pode parar. Na temporada, é normal menores de idade serem vistos nas ruas, até nas madrugadas, se embebedando, e esse problema não é enfrentado, já que faz parte da lógica econômica peruibense. Se eles querem gastar com cerveja, batidas e 51 ICE (pois é), azar o deles.


Querer reforçar a imagem de Peruíbe como lugarejo de turismo mundano só baixa o nível da cidade, agrava a violência e até o consumo de drogas. E vejam só: a Companhia Müller de Bebidas (que produz a caninha 51), também produz a 51 ICE, "a mistura perfeita da Cachaça 51 e frutas, um produto jovem e inovador, o primeiro da categoria "ice" a base de cachaça", de acordo com a própria propaganda da empresa. Muitos menores adoram esse tipo de bebida, consumida nas ruas, em festas....nisso, essa turma que planeja o destino da cidade não pensa.







quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

PERUÍBE 51 ANOS: MOTIVOS PARA COMEMORARMOS?


Pergunto se esta é uma data para comemorarmos, que merece a nossa celebração. Não prestei muita atenção na "empolgação popular", pois trabalho em outro município, mas sei que neste dia uns servidores municipais estão bem satisfeitos, depois do "trabalho voluntário" ao qual foram submetidos no carnaval. Pois é, carnaval significa o fim da temporada, e em Peruíbe não existe nada mais velho do que uma temporada que terminou ontem. Caramba, está aí uma boa notícia. A cidade é nossa novamente.

Aqui estou eu criticando o turismo de veraneio, que falta de juízo. Para a frágil economia local, o dinheiro gasto pelos veranistas é a água indispensável para a sobrevivência. O problema é que a partir de hoje, o fornecimento desse fluído tão necessário começará a ser racionado (prestem atenção à analogia), fazendo com que muitos de nossos cidadãos voltem a viver no limite, sedentos, perturbados ante tanta aridez e falta de oportunidades. Hoje muitos peruibenses já irão dormir preocupados, pensando em como pagar as contas do próximo mês.


Todavia, a imprensa irá tratar do que considera positivo: os festejos carnavalescos e as comemorações do aniversário de emancipação. A festa acabou, mas a fantasia continua.



terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Peruibenses já se parecem com norte-coreanos



Hoje o presidente norte-coreano Kim Jong-il, comemorou seu aniversário, tendo agora 68 anos. Lá ele costuma ser chamado de "pai benevolente". Aquela nação está em uma baita miséria, mas a propaganda o coloca nas alturas.O autoritarismo é terrível, as pessoas lá são quase que escravas, mas são obrigadas a idolatrarem o regime.

O que me faz pensar no drama dos
servidores municipais comissionados . Neste carnaval, eles têm sido os palhaços da festa. São tratados assim, pois não possuem escolha. Ou bancam os "voluntários" na organização do carnaval de Peruíbe, uma festividade inútil, que como o Peruíbefest , não traz benefícios duradouros para a cidade, ou....quem for bom entendedor já sacou.

Esses "voluntários" não são remunerados para isso. Não possuem os direitos trabalhistas garantidos aos servidores estatutários, que entraram por concurso. A prefeitura jamais chamará concursados para esse trabalho "voluntário", pois teria que pagar horas extras para eles. Vejam só que economia para os cofres públicos !!! Coisa de gênio. Nos gulags, os prisioneiros também não eram remunerados.


Tal como na
nação do medo, os comissionados são obrigados ao silêncio, pois não podem manifestar discordâncias com o PODER. Ou baixam a cabeça, ou estão fora !!! E estar fora pode ser um problema, neste lugarejo tão carente de oportunidades, onde até o subemprego não está ao alcance da maioria. Sei de gente que até vende os eletrodomésticos no tempo das vacas magras, as quais só duram uns nove meses do ano.Compreendem o drama? Ficar desempregado em Peruíbe não é tão grave quanto ficar sem comida em uma aldeia miserável norte-coreana, mas causa um grande sofrimento.

Estou forçando com esse papo de coréia do norte? Essa comparação? É uma crítica com um pouco de humor negro, na qual me sinto no direito de fazer. Peruíbe merece essa comparação, que não é transloucada como parece. Vejam este trecho de um artigo da revista VEJA, que coloquei em um link mais acima:


"Na distopia totalitária de Kim Jong-Il, a população é dividida em três castas: a dos "leais", que compreende de 20% a 30% da população; a dos "neutros", em que se encaixam em torno de 60% dos norte-coreanos; e a dos "reacionários", ou "hostis" – que totaliza 10% ou 20% da população. É com base nessa classificação, com 56 subdivisões, que o governo define se uma pessoa pode ou não cursar a universidade, a quantidade de ração que vai receber e a ocupação que terá ao longo da vida. A família da guia da excursão, como a maioria das famílias autorizadas a morar na capital, pertence à casta privilegiada. A jovem estudou inglês e russo numa das melhores universidades de Pyongyang e já viajou para a China – prerrogativa rara, já que mesmo os moradores da capital têm de ter autorização para se deslocar de uma cidade para outra. Aos 29 anos de idade, bonita e inteligente, ela é uma autêntica representante da elite norte-coreana."


Temos nossas castas por aqui. Sem dúvida, faço parte do grupo dos "reacionários", já que me recuso a aceitar tantos desmandos, o que é inadimissível para certos tipos, que se irritam ante qualquer crítica aos nossos governantes, para eles seres sagrados. Mas como eu não trabalho na prefeitura, e nem na cidade, estou livre para me opor. Já os
comissionados estão divididos em subgrupos, espalhados entre os "leais" e os "neutros". Mas alguns já passam para lado dos "hostis", tamanho é o descontentamento, que tem de ser bem oculto, pois o castigo para a "dissidência política" deles é o desemprego, o campo de concentração peruibense.



Na foto acima, em Pyongyang, norte-coreanos reverenciam a estátua de Kim Il-sung, pai do ditador Kim Jong-Il. Lá o pai passou o poder para o filho, adorado como um Deus. Estarei querendo dizer alguma coisa? Fazer uma analogia? Sei lá, do jeito que está, com a própria mídia local adulando o nosso "grande líder", colocado na condição de secretário da prefeita (e filha dele), vemos um ridículo culto da personalidade sendo gestado. Quem critica a dinastia bargieriana nas TVs locais? As entrevistas com o "pai" são quase que monólogos, nas quais o entrevistador facilita para o sujeito, já merecedor de pelo menos um busto de bronze, no estilo do realismo socialista, o qual podia ser colocado lá na praça principal.

Sem Porto Brasil ferrovia Santos-Juquiá é novamente esquecida


Por Paula Batista Chaves de Lira


A questão da ferrovia Santos-Juquiá, desativada completamente há 6 anos voltou à discussão com o projeto do Porto Brasil, e os investimentos que seriam trazidos pela empresa LLX, tendo a necessidade da reativação da malha ferroviária para transportar a carga. No entanto, com as dificuldades de desenvolver o projeto, devido a questão indígena a LLX suspendeu os investimentos, deixando a ferrovia por enquanto esquecida.

Este, porém, não foi o único projeto para a reutilização da estrada de ferro, a Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM), elaborou há alguns anos o Plano Metropolitano de Desenvolvimento Integrado, onde uma de suas ações seria o apoio ao aumento do uso ferroviário para o transporte de cargas e o uso do Veículo Leve sobre Trilhos, sendo aproveitado para fins turísticos. Por telefone o diretor técnico da AGEM, Paulo de Moraes disse que “na época que o projeto foi feito a ferrovia não estava privatizada, hoje é mais difícil já que ela pertence a concessionária América Latina Logística (ALL) e por enquanto só existiram propostas de reativação, mas a realização destes projetos está somente no futuro”. Paulo afirma também que “com a expansão da área do porto, a ferrovia pode voltar a funcionar, no entanto primeiramente o que voltaria seriam os transportes de cargas”.

Enquanto as propostas não se realizam, algumas cidades como Santos, Itanhaém e Peruíbe estão se preocupando em resgatar um pouco da cultura com a restauração das antigas Estações, trazendo para dentro delas um pouco da história e memória de cada cidade.

Com esse intuito o Instituto Cidade Cidadã (ICC) em parceria com a Prefeitura Municipal de Peruíbe criou um movimento chamado “Amigos da Estação” com o objetivo de difundir a cultura e a história peruibense, aproveitando o espaço para criar o Arquivo histórico municipal. O Secretário-Executivo e de Relações Institucionais do (ICC), José Marcio Cunha afirma que “infelizmente das cidades da região Peruíbe é a mais frágil em questão de memória histórica, por isso o Instituto fez essa parceria com o objetivo de divulgar o patrimônio histórico e cultural, colocando a disposição da população documentos que lhes sirvam de pesquisa”.

Segundo a historiadora do Departamento de Cultura de Peruíbe, Fátima Cristina Pires “a documentação do arquivo será de órgãos públicos e privados contando um pouco da história da cidade”. Ela acrescenta que “esporadicamente poderão acontecer no local algumas exposições dentro do contexto histórico”. Fátima também explica que a restauração começou em 01 de julho de 2008 e que a obra precisa ser feita em etapas, já que depende da aprovação e liberação de verbas da Caixa Econômica Federal, o plano era que fosse finalizada no último dia 28 de agosto, quando a Estação completou 95 anos, mas agora não existe previsão para o término da restauração.

A importância desta ferrovia era tamanha que a rodovia foi construída paralelamente a ela, no entanto coberta pelo mato, ou escondida entre casas irregulares, o barulho típico dos trens foi sendo esquecido. Com quase um século de existência a ferrovia Santos-Juquiá inaugurada em janeiro de 1914, na época em concessão da Southern São Paulo Railway, foi responsável pelo desenvolvimento da região e por 89 anos serviu como transporte de passageiros e cargas. Hoje, a ferrovia fica apenas na memória de alguns que utilizaram o transporte, com uma extensão de 161,5 km de puro abandono.
Cecília Ramos dos Santos, 75 anos, moradora de Peruíbe há 32 anos, lembra com saudade das passagens dos trens “quando ouvia o apito todo mundo parava o que estava fazendo para ver o trem passar, as viagens eram muito gostosas, podíamos ir apreciando a paisagem”. Cecília relembra ainda que “na época não tínhamos muita opção, para sair da cidade era ou indo de carroça seguindo pela praia ou de trem, apesar dos trens não estarem em bom estado, é uma coisa que a gente sente saudade, afinal ficou uma tristeza quando ele parou de circular, já que sabíamos que aquela hora era a hora do trem”.

FONTE  BLOG IMPRESSÕES

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Peruíbe, terra dos bananas

Você não leu errado, e eu não errei no gênero da frase. Historicamente, Peruíbe é uma cidade de bananas, governada por sacanas.

A realidade é que Peruíbe tem sido governada desde a emancipação, por pessoas que costumam prometer uma coisa e depois fazem outra.

Pessoas que costumam falar como líderes democráticos, mas que têm usado seus cargos políticos, como trampolins para atingirem níveis mais altos, onde conseguirão os previlégios desejados, ao alcançarem altos cargos na administração pública e privadas, podendo até (caso dos nossos vereadores, bom exemplo) aumentar suas mordomias e ganhos.

E os bananas aguentam, me pergunto até quando. A administração municipal determinou que não ocorrerá ponto facutativo no paço municipal amanhã, ou seja, na segunda de Carnaval. E hoje, VOLUNTARIAMENTE, servidores trabalham na organização das comemorações carnavalescas. Só na terra dos bananas mesmo !!!

Juréia: futuro incerto



Segundo maior maciço preservado de Mata Atlântica do estado de São Paulo, logo atrás da Serra do Mar, a região da Juréia-Itatins está no centro de novos debates envolvendo áreas protegidas e populações em seu interior. Audiências públicas realizadas na última semana, em Peruíbe e Iguape, jogaram na mesa de negociações propostas oficiais e de associações de moradores para dar nova forma ao conjunto de áreas protegidas que cobrirá mais de cem mil hectares, do litoral às montanhas.

A discussão é fruto de decisão judicial no ano passado que suspendeu o mosaico de unidades de conservação criado pelo governo do estado de São Paulo. O mosaico era uma alternativa à estação ecológica, criticada por moradores da região. Agora, governo estadual e residentes aprovam recriação do bloco de áreas protegidas proteção, mas com soluções mais permissivas à presença e atividades humanas.

Pedro Develey, diretor de Conservação da não-governamental Save Brasil, lembra que em abril passado, numa reunião de três dias, foi apresentado e aprovado pelas comunidades da Juréia um plano de manejo do mosaico, elaborado com dinheiro público por um time de setenta pesquisadores. “Tudo foi explicado pacientemente às populações, que entenderam e aprovaram o documento”, disse o ambientalista, que estuda a região desde 1993.

Segundo ele, sem o mosaico perdem as pessoas e perde a conservação da Juréia. Conforme Develey, a proteção regional deve ser ampliada, não reduzida. “Aumentar a área das reservas de desenvolvimento sustentável, como propõem algumas entidades, comprometerá o equilíbrio ecológico local, a própria agricultura e o extrativismo. Fazer isso seria um retrocesso, que culminará na destruição da Juréia em poucos anos. O ser humano é predador”, disse.

Em carta ao governador José Serra, que pode ser acessada aqui , pesquisadores alegam que “a pequena população tradicional do início do século passado cresceu e somaram-se a ela outros grupos sociais, formando, ao longo desses anos, grandes conjuntos populacionais mistos dentro da” estação ecológica. “Sem dúvida, esse número vem crescendo desde a declaração da área como estação ecológica, e independentemente dos sucessivos atos de proteção legal”, disse a professora da Unicamp, Rozely Santos, uma das responsáveis pelo plano de manejo da Juréia.

Os pesquisadores também esperam que, desta vez, seja formatada uma proposta legislativa que realmente garanta proteção contínua e efetiva ao meio ambiente local, com a criação de parques estaduais ou outras unidades de conservação de proteção integral cobrindo a Serra do Itatins, as planícies dos rios Una do Prelado, Comprido e Verde, bem como os Maciços da Juréia e do Parnapuã. “Nessas áreas, a proposta ideal é eliminar as pressões humanas, ou no mínimo reduzi-las significativamente, mas nunca ampliá-las. Não se pode perder de vista o que é uma Unidade de Conservação. Elas não foram estabelecidas para veranistas, para moradores pseudotradicionais ou para conter segundas residências”, diz o manifesto.

Origem do imbroglio
Criada logo após a “redemocratização”, em janeiro de 1986 , a estação ecológica Juréia-Itatins engloba parte dos municípios de Iguape, Peruíbe, Miracatu e Itariri, somando 82 mil hectares de Mata Atlântica. À época, havia planos para duas usinas nucleares ou um condomínio para 70 mil pessoas no local. “Mas ela foi criada já com comunidades em seu interior, no estilo em que se criavam unidades de conservação durante a Ditadura, traçando mapas e sem nenhuma participação popular. Hoje há cerca de 270 famílias lá dentro. Não são agressoras do meio ambiente”, argumentou Arnaldo Neves Júnior, da União dos Moradores da Juréia (UMJ).

Na tentativa de manter aquelas pessoas na região, o governo estadual implementou há quatro anos um conjunto de áreas protegidas de uso sustentável e de proteção integral, unidas nos mais de 110 mil hectares do chamado mosaico de Juréia-Itatins. Em junho de 2009, todavia, o Supremo Tribunal de Justiça de São Paulo considerou inconstitucional o bloco de unidades de conservação. A decisão desmontou o mosaico, trouxe de volta a estação ecológica de 1986 e abriu nova discussão sobre o futuro da área, envolvendo moradores, especuladores imobiliários, conservacionistas, pesquisadores e governo.

“Nas audiências públicas, em Iguape e Peruíbe (semana passada), surgiram interesses e seus advogados ligados à especulação imobiliária e ocupação de áreas sensíveis na região, como várzeas, restingas e banhados, planícies, Serra do Itatins e campos de altitude. Nesses locais já há grande pressão de caçadores, palmiteiros e de assentados do Incra que invadem a região”, disse uma fonte da Fundação Florestal.

Propostas em xeque

A proposta da UMJ prevê que as mais de 15 comunidades na Juréia permaneçam por lá, em reservas de desenvolvimento sustentável. Já o modelo da Fundação Florestal é baseado em documentos gerados por pesquisadores que ajudaram a elaborar um plano de manejo para o mosaico. Mas ambas as alternativas precisam de ajustes, avaliou Rozely Santos.

“As propostas substituem áreas que eram unidades de conservação de proteção integral por de uso sustentável no mosaico, muito menos restritivas à presença e atividades humanas. E há concepções diferentes. A Fundação Florestal exclui áreas marinhas que no mosaico estavam como estação ecológica e parque, passando a ser uma área de proteção ambiental. A UMJ aumenta substancialmente a área das reservas de desenvolvimento sustentável. As perdas em proteção integral são imensas”, ressaltou.

Conforme Neves Júnior, a maioria das famílias ligadas à UMJ é de pequenos agricultores e de extrativistas que, antes das unidades de conservação, aproveitavam as matas para a extração de palmito, caixeta e outros itens. Segundo ele, a reclassificação do mosaico conforme querem seus moradores ajudará na gestão e fiscalização da área. “Hoje falta fiscalização sobre os que vêm de fora. Queremos construir junto com o governo um modelo onde os moradores sejam coresponsáveis pelo gerenciamento do mosaico, como ocorre nas reservas da Amazônia”, disse.

Também afirmou que as populações não são contra as áreas protegidas, mas que é preciso ceder frente à realidade da ocupação. “Algumas áreas devem ser mesmo santuários, mas outras podem ser abertas ao uso”, avaliou. “Por isso somos contra a proposta da Fundação Florestal, que praticamente reedita o mosaico antes de sua derrubada pela Justiça, excluindo comunidades. Acreditamos que o governo usará da democracia participativa para reformular a proposta, fazendo com que todos saiam ganhando”, arrematou.

Para Rozely Santos, a principal fonte de conflitos vem da indecisão dos últimos governos estaduais sobre o que fazer com Juréia-Itatins. “Criou-se uma estação ecológica, mas não se resolveu a situação fundiária do lugar, não se indenizou a maior parte dos proprietários, não se forneceu condições para fiscalização e manejo, não se impediu que houvesse o ingresso de novas famílias, entre outras atitudes”, disse. “É urgente que o atual governo decida, rapidamente, os caminhos que deverão ser tomados e ter “pulso firme”, aplicando o que está na lei e investindo recursos financeiros e humanos na decisão tomada. Está na hora do governo se posicionar e assumir suas posições, pois essa tendência de dupla direção só acarretará, cada vez mais, conflitos entre todos os atores sociais”, comentou.

Um projeto de lei com o balanço das iniciativas deverá tramitar na Assembléia Legislativa, não descartando estudos sobre a capacidade regional para suportar extrativismo, agricultura e turismo.

Aldem Bourscheit

O Eco

http://www.oeco.com.br/

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Curitiba no Carnaval 2010: exemplo para uma Peruíbe decadente




Curitiba pode receber quase 70 mil turistas no carnaval
Foi-se o tempo quando a Capital ficava deserta nesta época do ano


Para o setor de turismo curitibano, carnaval significa trabalho. O feriado prolongado vem atraindo um bom número de visitantes, que cresce anualmente. As estatísticas do Instituto Municipal de Turismo mostram que, no ano passado, a cidade recebeu aproximadamente 65 mil turistas no Carnaval — três mil estrangeiros e 62 mil brasileiros — número que deve ser superado neste ano.

"Curitiba já não fica mais deserta no carnaval. A capital recebe um bom número de visitantes e também há muitos moradores que aproveitam o feriadão para conhecer melhor a cidade onde vivem", diz a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Juliana Vosnika.

No ano passado, a Torre Panorâmica, um dos cartões postais da cidade, teve aumento de 4,86% no número de visitantes em comparação com 2008. O número passou de 3164, registrados em 2008, para 3.318.


Na Linha Turismo, com ônibus de dois andares que percorrem 24 pontos turísticos da cidade, o movimento desta época chega a ser 60% maior que nos fins de semana normais. Aos sábados e domingos, cerca de 2,1 mil passageiros usam a frota, mas na época de Carnaval, a média de embarques sobe para 3.350 embarques.




"Antigamente, os turistas procuravam somente sol e praia. Hoje, o perfil mudou e os interesses são variados. Muitos aproveitam o Carnaval para conhecer uma nova cidade, um novo destino que ofereça boas opções de compras, gastronomia diversificada, opções culturais. E Curitiba tem tudo isso para oferecer", diz Juliana

De acordo com os dados do instituto, a tranqüilidade é apontada por 58% dos turistas como o principal trunfo curitibano na época da folia carnavalesca. Mas a cidade também tem atrações para os visitantes que buscam diversão com música. Para eles, a noite é movimentada. Guitarras tomam o lugar dos tradicionais tamborins nos variados shows de rock, surf music e psychobilly nos principais bares da cidade.

"Oferecer programações alternativas, que fogem do lugar-comum, é uma boa tática de geração de fluxo turístico na cidade. Os turistas atuais procuram vivenciar novas experiências, além de conhecer novos atrativos", diz Juliana.

Hotéis - o movimento nos hotéis também vem crescendo em fevereiro. Desde 2006, houve um aumento de 45,17% na taxa de ocupação dos hotéis cidade neste mês, com destaque para os dias de carnaval.

Hotéis centrais e menores são os que mais recebem hóspedes no período. Cristiane Alvim Marques, gerente de um hotel na rua Mateus Leme, comemora o movimento deste ano. O estabelecimento terá 100% de ocupação no período.

"São hóspedes que procuram Curitiba para descansar, mas não dispensam um bom passeio pela cidade. Os dias de carnaval são suficientes para eles conhecerem boa parte dos atrativos de Curitiba, principalmente os que ficam nos arredores do hotel. O hotel sempre tem dicas de roteiro", conta Cristiane.

As sugestões de Cristiane incluem a praça Tiradentes, que passou por revitalização. Marco zero da cidade, a praça abriga a Catedral Basílica de Nossa Senhora da Luz, construída entre 1876 e 1893 em estilo neogótico. O Paço da Liberdade, na praça Generoso Marques, e a feirinha de artesanato do Largo da Ordem, aos domingos, integram a lista de sugestões.

FONTE BEM PARANÁ

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Peruíbe, eu fico triste quando chega o Carnaval


Qualquer dinheiro gasto com o Carnaval em Peruíbe é um baita desperdício, poi este gasto resulta apenas em desgraça para a cidade, nos traz o pior da temporada ou aumenta os problemas que observamos nesse período.


Peruíbe ganha um monte de bêbados nas ruas. Acidentes de trânsito em escala industrial. Música lixo, daquela que nem merece ser chamada de música.
MENORES soltos pelas madrugadas, bandidos e trombadinhas fazendo a festa. Gente amontoada, suando, pingando. MUITAS PESSOAS SE DROGANDO. Foliões vomitando de tanto beberem, trânsito nas estradas, fila pra tudo, o preço de tudo sobe, a paz não existe para nós. Quer dizer, existir até existe, se você tiver possibilidade de sumir, se esconder em um recanto na mata ou se enfiar dentro de um BUNKER.


Os entusiastas do carnaval por aqui são sem coração. Este município é cheio de idosos. Só tem velhinho nos bairros praianos! Que tristeza, vai infartar um monte nestes cinco dias de “festa”. Tem morador que não pode tirar folga do trabalho! E para muitos que trabalham na segunda, como irão dormir no domingo com a inevitável desgraça de
vagabundos tocando som alto em carros até as quatro da manhã?? Cadê a responsabilidade social, cadê o direito à paz dos cidadãos, cadê o respeito nesta terra ???


E uma das coisas que pretendo fazer neste feriado (terei três dias de folga) sem viagem para um recanto com um "carnaval zero" (Curitiba é ótima nisso), além de ler, jogar SUDOKU, escutar FM e escrever uns textos interessantes (espero...), é ir até a praia bem cedo para ver o sol nascer.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Passagem da INTERSUL a R$ 2,20, por um lixo de serviço

Desde ontem o ônibus está mais caro, com a tarifa tendo passado de R$ 1,95 para R$ 2,20. A magnífica INTERSUL, que monopoliza o transporte coletivo por aqui, iniciou suas atividades na cidade em fevereiro de 2005, quando a tarifa era de R$ 1,50. Um aumento de R$ 0,70 em cinco anos. Não é pouco.

Francamente, eu me pergunto que progresso tivemos desde a falência da ABAREBEBÊ .

Aliás eu questiono o sentido da prefeitura insistir na fórmula FRACASSADA, de permitir uma única empresa para transporte dentro da cidade. Veículos velhos, máquinas para leitura de cartões que costumam travar, atrasos nos horários, e uma crescente insatisfação dos usuários, os quais JÁ NÃO GANHAM MUITO EM SEUS EMPREGOS. Prefeita Milena, proponho a criação de um serviço alternativo, uma cooperativa formada por uma frota de VANS. A INTERSUL não irá falir por causa disso, e a população será beneficiada.

Mudança demográfica e de ELEITORADO em Peruíbe

Em outro texto, critiquei a idéia "original" de um ongueiro, em priorizar os aposentados, como forma de promover desenvolvimento da cidade. Considero a PROPOSTA cheia de limitações, preconceituosa até, e vejo agora que Peruíbe com o tempo será vítima de ser A TERRA DA ETERNA JUVENTUDE. Com a constante migração dos mais jovens para fora e a  vinda de aposentados para cá, teremos um desequilíbrio nas faixas etárias, com o surgimento de uma população desproporcionalmente idosa. Uma severa mudança demográfica, que provocará grande impacto em Peruíbe.

À medida que as crianças e adolescentes representem uma proporção cada vez menor da nossa população, ocorrerá  uma  inevitável redução no interesse em se atrair para esta cidade investimentos de porte, que possam gerar muitos empregos, enquanto uma crescente população idosa passará a exigir mais investimentos que a favoreçam.

Já na política, essa mudança demográfica irá mudar a representação política peruibense, com uma classe dirigente desinteressada em promover mudanças que possam ameaçar o "sossego" do grupo que se tornará a maioria. Será o núcleo da terceira idade como o grande centro de poder local.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Combate às enchentes na zona noroeste de Santos

30/08/2009
Cotidiano
Obras do projeto que acaba com enchentes na Zona Noroeste devem começar em 2010
Felipe Pupo



Imagine uma cidade livre de enchentes, em que o saneamento básico alcança todas as moradias, o transporte é adequado para atender à necessidade dos moradores e o desenvolvimento acontece sem causar danos ao meio ambiente. Parece um lugar no país das maravilhas, não? Porém, essa é a proposta do projeto "Santos Novos Tempos", que pretende solucionar os gargalos que se arrastam nas regiões carentes de Santos.

A proposta da Prefeitura está em fase de aprovação no Tesouro Nacional. Após o aval da instituição, o executivo santista vai buscar acertar os detalhes do financiamento com o Governo Federal e o Banco Interamericano de Desenvolvimento Econômico Mundial (BIRD). Em seguida, o projeto vai aguardar a autorização no Senado. Após percorrer a maratona da burocracia, a Prefeitura pretende dar inicio às obras em 2010.

O orçamento das obras está estimado em US$ 88 milhões. Desse valor, 50% será financiado pelo BIRD e a outra metade ficará por conta da Prefeitura. Caso essa iniciativa seja aprovada mais de 154 mil pessoas serão beneficiadas ao longo dos próximos anos. Esses munícipes representam 37% da população santista, que estão espalhadas entre a ZN e os morros.

Conforme o estudo detalhado por técnicos da Prefeitura, os bairros da ZN vão receber obras de macrodrenagem. Além disso, o projeto pretende criar um sistema de comportas automatizadas e de estações elevatórias para o controle das inundações.

O "Santos Novos Tempos" vai garantir também o desassoreamento dos rios e a limpeza dos canais. As atenções do poder público serão redobradas para as famílias que moram em áreas de risco. Por isso, será realizado o reassentamento de 941 famílias para conjuntos habitacionais.

Em relação aos morros, a Prefeitura selecionou uma série de obras prioritárias, que visam reduzir os problemas urbanísticos. Para garantir a permanência dos moradores nas encostas serão construídos muros de arrimo, escadas hidráulicas, obras de macrodrenagem e limpeza do lixo acumulado.

Outro aspecto importante é a regularização fundiária. Nos morros, serão atendidas 1.094 famílias que se encontram em situação irregular.
Com as obras de infraestrutura, a Prefeitura pretende atrair investimentos para a geração de emprego e renda. Apenas para a qualificação profissional dos moradores será liberado mais de R$ 1 milhão.

O projeto Santos Novos Tempos está em sintonia com o "Pacto de Gestão Territorial Integrada", que envolve os municípios diretamente ligados ao porto e sua área de expansão (Santos, São Vicente, Guarujá e Cubatão), os governos Federal, Estadual e a iniciativa privada.

Fonte JORNAL DA ORLA

Quero ver algo semelhante por aqui. Vamos ver.

Letra morta

Tirei o texto abaixo deste site da  PREFEITURA. Gosto de comparar a realidade com a teoria. E o que está aí tem um bocado de teoria:



Departamento de Turismo é órgão da Secretaria Municipal de Turismo, Cultura e Esportes responsável por organizar e estruturar a atividade turística, estabelecendo parcerias entre o governo municipal e os demais setores da sociedade no desenvolvimento da Política Municipal de Turismo da Estância Balneária de Peruíbe.



Ao Departamento de Turismo compete:

I - Promover a conscientização, sensibilização, estímulo e capacitação dos vários agentes de desenvolvimento do turismo no município;



II - Fortalecer a importância e a dimensão do turismo como gerador de emprego e renda no município;



III - Promover a visão do turismo como fato gerador de crescimento econômico em harmonia com a preservação e a manutenção do patrimônio ambiental, histórico e de herança cultural;



IV -Garantir a participação da comunidade na gestão do turismo, permitindo que ela seja a protagonista nas decisões sobre seus próprios recursos;



III - Buscar o desenvolvimento integrado do turismo, articulando-se com os municípios da Baixada Santista.



João Fioribelli Junior

Diretor de Turismo


Caramba, isso tudo é tão legal, mas na realidade, vejo bem pouco disso. Focarei no que mais me chamou a atenção, vejam o artigo IV:
"IV -Garantir a participação da comunidade na gestão do turismo, permitindo que ela seja a protagonista nas decisões sobre seus próprios recursos;"

Que eu saiba nós, pagadores do PEQUENINO IPTU de Peruíbe, não costumamos ser consultados sobre o uso dos recursos municipais no turismo. Não possuímos AUTORIDADE nisso. Pelo que eu sei, se moradores, ou mesmo MUITOS TURISTAS, pudessem se tornar de fato "protagonistas", na decisão no uso de dinheiro público municipal, discordariam de muita coisa.

Se fossem vizinhos de locais onde, habitualmente, costumam ser feitos shows, duvido seriam a favor dos mesmos. Ninguém tem a obrigação de escutar barulheira que agrada a visitantes bagunceiros, próximo da própria casa. Podendo "participar" das decisões, ou como é dito acima, DECIDIR, FICARIAM CONTRA

Esse artigo IV É LETRA MORTA !!!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Peruíbe 40 graus


Este fevereiro está me deixando esgotado, pois este virou um mês ardente. O consumo de eletricidade disparou e para dormir tenho de ficar em frente ao ventilador por toda a madrugada. O calor faz as pessoas suarem em bicas. As temperaturas batem recordes, estamos em uma estiagem, o que já faz a alguns  considerarem o risco de ENCHENTE um evento improvável, uma ficção se considerarmos as atuais condições climáticas.


Mesmo assim, a tensão se sente no ar, não só pela temperatura senão pelo temor do pior, que outros já comentam. Falo da teoria de que nós estamos apenas atravessando um intervalo entre um ciclo de chuvas rigoroso, que está para acabar. O jeito é esperar que o alívio para esse sol de deserto africano que enfrentamos diariamente, não chegue de uma forma radical.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

CARTA DE GUARAQUEÇABA - CIRCULANDO PELA REDE

REPASSANDO

Peço a vocês que repassem este e-mail. Uma andorinha não faz verão, mas movimenta o céu.

Sou G. M. M., professora do Estado nesta região, não posso me identificar por temer represálias.

O Governo e a Assembléia Legislativa do Paraná não conhecem a região de Guaraqueçaba. É fácil provar isso.

Que benefícios tem Guaraqueçaba por ser uma área de preservação?

Muito pouco, quase nada. Temos uma Fundação Boticário que apenas mantêm o parque de mesmo nome, uma ONG (SPVS), que cuida de 26.000 hectares para a The Nature Conservancy (um grupo de empresas americanas), e não investe em nenhum centavo no social, emprega algumas pessoas como guardas-floresta e nada mais.

Diz-se na região que melhor seria se tivessem nascidos com mico-leão-dourado ou outro animal qualquer. Os Royalties que o município ganha não chega ao povo, mas serve para pagar os salários dos mais chegados ao prefeito.

Não se pode tocar em nada, nem para matar a fome; preserva-se a caça mas onde fica o homem? Não há cursos profissionalizantes nem para os que têm renda, imagine para os que não têm? E a EMATER? É apenas um cadáver a espera de sepultamento.

Venham conversar com o povo. Alcoólatras e viciados em maconha e crack têm muitos por aqui. A economia da região é movimentada pelos aposentados rurais que criam os seus netos e netas que não vêm a hora de cair fora da região.

A Ausência do Governo

Nos quase 90 km de péssima estrada de chão cortam o município de Guaraqueçaba não temos nenhum posto de saúde mantido pelo Governo do Estado, há um Posto Médico em Tagaçaba de Baixo (o segundo pólo mais importante a 46 km da sede municipal), mantido pela Igreja Batista e a Prefeitura.

Quantos já morreram por falta de um soro antiofídico? Que eu saiba, muitos...

Os moradores destas localidades: Cedro, Itaqui, Potinga, Tagaçaba de Baixo e de Cima, Serra Negra, Açungui, Bananal, Morato, Batuva e Rio Verde; preferem encher os Postos Médicos de Antonina. Pagam R$ 21,00 (ida e volta), para chegar lá, quando não vão direto a Paranaguá.

O hospital que o Governo diz estar fazendo em Guaraqueçaba está começando a ruir antes começar a operar.

Não há um só centro de inclusão digital nos 90 Km de estrada, a PR 405, que liga Antonina á Guaraqueçaba. Para piorar a situação, para acesso a internet os moradores da região precisam fazer uma ligação para o município de Antonina, o que torna o acesso discado inviável . É sério pessoal!

A Extensão do Município

O que se faz na sede não beneficia a todos os munícipes. O município é muito grande, além da parte territorial há inúmeras ilhas, cujos moradores em extrema dificuldade precisam se deslocar a sede do município sempre que precisam cuidar da saúde. O mesmo acontece com os moradores das localidades já mencionadas que estão a mais de 40 km da sede municipal. A Prefeitura é um verdadeiro cabide de empregos, 80 % da folha de pagamento é só para pagar funcionários.

Guaraqueçaba Merece Tratamento Diferenciado

A APPA de Guaraqueçaba merece um tratamento diferenciado. Vivemos numa região onde se fiscaliza o mosquito e deixa-se passar o camelo. Sabe-se como vai o papagaio da cara roxa e nada se sabe sobre as nossas crianças que andam com os pés no chão. Mais de 70% das terras de Gçaba são posses não legalizadas onde a maioria dos que lá produzem (banana, mandioca, palmeira real;), o fazem para a subsistência. (A estrada para o escoamento dos produtos é péssima). Quem quer ser produtor rural nesta região meus amigos!

O Governo está pedindo o cadastramento no CADPRO – Cadastro de Produtores Rurais, o não cadastramento fará com que os moradores da zona rural paguem ICMS e percam o benefício especial de zona rural. Numa região em que IDH é o menor do Paraná, imaginem vocês o dano social que isto irão causar a vida dos pobres guaraqueçabanos. O Governo irá roubar o direito dos pobres que vivem na zona rural e por isso merecem pagar luz de zona rural. Vá reinventar a roda em outro lugar quem criou tal idéia.

VAMOS COLOCAR UMA CANCELA NA ENTRADA DO MUNICÍPIO E

DECRETAR FALÊNCIA. QUEM QUISER ENTRAR VAI TER QUE PAGAR.

VAMOS CRIAR AS FARCS DE GUARAQUEÇABA PESSOAL!!!


Por pior que Peruíbe esteja, existem lugares em que a situação é mais grave.

Autocensura do cidadão Peruibense

Você se considera uma pessoa livre para dizer o que pensa dos problemas desta cidade?


Claro, eu sei que você vai dizer que sim, mas é melhor refletir sobre essa questão.
Você sempre costuma dizer o que acha desta cidade? Você sempre comenta sobre os problemas de Peruíbe tudo o que quer dizer, e com quem bem entende?
Caso você tenha o "privilégio" de trabalhar para a prefeitura, que não dá um mínimo de liberdade para o funcionário, tornando-o muito cuidadoso com as suas opiniões, impedido de falar sobre QUASE TUDO do que pensa, inclusive fora da repartição porque "alguém pode escutar"...você é vítima preferencial da AUTOCENSURA PERUIBENSE. Que triste situação.


O sujeito se vê obrigado a censurar a si próprio, mais do que o habitual em sociedade. Claro que é lógico dizer que ninguém pode sair por aí dizendo tudo o que queira, pois os resultados tendem a ser desastrosos, mas o que vemos por aqui é absurdo. Autocensura não pode ser confundida com mentira, mas em Peruíbe ela está levando a isso.


No começo, a pessoa se limita a não criticar, mesmo entre os familiares ou amigos próximos, algum político em destaque. Mais tarde, começa a adular esse político. O elogia, o agradeçe, vai nas inaugurações dos "feitos" do dito cujo, e por aí vai. Parece valer tudo em nome da sobrevivência, inclusive mentir, com palavras e comportamentos.


E isso tem ocorrido também com quem está afastado da administração pública municipal, pois o peruibense em geral teme cair em alguma das "listas negras" de membros da nossa classe política. Vai que "algum dia" o coitado precise do favor do "cara" ou "dela".


E você, se autocensura muito?

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Registro: prefeita pragmática cancela o Carnaval

Prejuízo com enchente faz Registro cancelar carnaval

75 milhões de reais. Esse é o prejuízo estimado com a enchente que acometeu a cidade de Registro nas últimas semanas. Para se recuperar, o município tentar homologar com o Governo do Estado o pedido de situação de emergência. Toneladas de donativos não param de chegar para atender a demanda das cerca de 500 pessoas distribuídas em cinco abrigos da Prefeitura além das pessoas isoladas pelas águas nos bairros rurais das estradas.

Toda essa situação fez com que a Prefeitura e a Comissão do Carnaval decidissem cancelar a festa de momo que aconteceria na cidade. “Seria uma incoerência com a realidade que estamos vivendo e um descaso com as vítimas, além das pessoas que estão se esforçando para enviar doações”, analisou a comissão.

A prefeita Sandra Kennedy lamentou a decisão, mas ressaltou que é a ação mais prudente a se tomar nesse momento. Ela relatou à comissão que 610 casas foram danificadas, cerca de 317 km de estradas rurais terão que ser reconstruídas, além de pontes, rede de distribuição de água, transporte público, prejuízo de 1870 hectares de banana equivalentes a 9% do PIB da cidade e um impacto de 33 milhões de reais no comércio.

Mas o ano não vai passar sem a festa, a Comissão decidiu que fará um Carnaval fora de época e já marcou a data. Será no sábado de aleluia e no domingo de páscoa será feito uma matinê para as crianças. “É um jeito de não tirar das pessoas a alegria desta festa”, ressaltou o coordenador da comissão, Aírton Cabral.

FONTE PREFEITURA DE REGISTRO

Palavras da prefeita:“Seria uma incoerência com a realidade que estamos vivendo e um descaso com as vítimas, além das pessoas que estão se esforçando para enviar doações.”
Notável, uma pessoa com um mínimo de pragmatismo, que viu que era correto deixar de lado algo de tão pouca importância, ou de nenhuma, dependendo do ponto de vista. Quero ver um comportamento similar em Peruíbe, terra da propaganda enganosa.


A situação é grave, e Peruíbe NÃO ESTÁ PREPARADA. A Tragédia aqui ao lado, e os peruibenses, em geral, nem falam nada, agem como se tratasse de um evento em uma terra distante. O HAITI chamou mais atenção, e EU TENHO CERTEZA QUE RECEBEU MAIS DOAÇÕES, mais apoio DAQUI. O silencio e desinteresse do nosso povo me espanta, já que demonstra alienação. Eu explico: geograficamente, Peruíbe é de fato parte do VALE DO RIBEIRA, e essa realidade tende a se tornar mais visível, com a crescente  integração que já ocorre com ITARIRI e PEDRO DE TOLEDO. Miracatu seguirá o mesmo caminho. Nossa participação na BAIXADA SANTISTA é forçada, artificial e irreal para nossa realidade.


Nossa cidade partilha com municipios vizinhos "de fora da baixada" imensas reservas florestais, elementos culturais em comum ( cultura caiçara de Iguape) e altos níveis de pobreza e desemprego. E as massas de ar que provocaram as enchentes "no lado de lá"....também chegam aqui, rapidamente, e bem úmidas. Historicamente, as inundações por aqui sempre ocorrem paralelas a eventos similares no nosso "vizinho" Vale do Ribeira. Até março, correremos um GRANDE RISCO. E os últimos ALAGAMENTOS JÁ FORAM ESQUECIDOS.

O jeito é esperar e torcer para que o profeta CHARLIE FROST esteja enganado.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Enchente no Vale do Ribeira e os seus efeitos

Enchente no Vale do Ribeira (SP) deixa 400 pessoas isoladas e 9.000 afetados; prejuízo em Registro é de R$ 75 milhões

Fabiana Uchinaka
Do UOL Notícias
Em São Paulo

As fortes chuvas que atingem a região do Vale do Ribeira, no sul do Estado de São Paulo, provocaram o transbordamento do rio Ribeira de Iguape, que subiu mais de 3,5 metros acima do nível normal. Nesta quinta-feira (4), o número de pessoas afetadas pela enchente nas cidades de Registro e Sete Barras já passava de 9.000.

Em Registro, 8.800 pessoas sofrem com a cheia, mas cerca de 2.100 estão sendo diretamente atingidas (pessoas isoladas, desabrigadas ou desalojadas). Para cinco abrigos da prefeitura, improvisados em escolas da cidade, foram levadas 460 pessoas. E em algumas propriedades rurais, a Defesa Civil precisou usar barcos e tratores para levar ajuda médica, água potável e alimentos para as 408 famílias que estavam isoladas.

Os bairros afetados são: Alay Correa, São Jardim Valery, Vila Nova, Nosso Teto, Vila São Francisco, Serrote, Baissununga, Jurumirim, Estirão do Carapiranga, Ponta Grossa, Guaviruva, Boa Vista Rio, Ribeirão de Registro, Bamburral de Baixo e Saltinho.

De acordo com a Prefeitura de Registro, 317 km de estradas rurais foram afetados e diversas plantações estão debaixo de água. O prejuízo, segundo cálculo do governo municipal, é de R$ 75 milhões, sendo R$ 33 milhões de perdas na agricultura.

A prefeita da cidade, Sandra Kennedy (PT), já decretou situação de emergência e espera homologação do governo do Estado.

Já em Sete Barras, cidade vizinha a Registro, a situação está próxima da normalidade. Segundo o coordenador de Defesa Civil, Gilberto Ota, parou de chover e o rio, que chegou a 6,7 metros, começou a baixar.

“Estamos em uma região de vale. A água chega aqui depois de acumular desde o Paraná. É um efeito cascata”, explicou.

De acordo com o balanço da Defesa Civil, 73 famílias e 300 propriedades de cinco bairros foram afetadas pelo alagamento em Sete Barras. “Agora estamos levando as famílias para suas casas, fazendo a limpeza, checando as questões de saúde e avaliando os riscos”, disse Ota. Segundo ele, apenas três pessoas continuam em abrigo da Prefeitura.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

O Município de Registro e o seu drama bem atual


As chuvas já causaram os primeiros desabrigados do ano pela enchente do Rio Ribeira de Iguape, em Registro. Atualmente 92 famílias, totalizando 407 pessoas estão alojadas temporariamente nos três abrigos disponibilizados pela Prefeitura de Registro: Ginásio Mário Covas e escolas Nicéia Hirota e Francisco Manoel.
Os bairros mais afetados SãoVila São Francisco, Jd Valery II, Alay Corrêa, Nosso Teto, Vila Nova, Jardim Caiçara, e zona rural estradas rurais e várzeas isolando os bairros Guaviruva, Jurumirim, Baissununga e Limoeiro. A este número ainda deverão ser somadas as famílias desalojadas pelas chuvas e que foram socorridas em casas de parentes e amigos e não nos abrigos municipais e que ainda estão sendo cadastradas pela Defesa Civil.
Para este momento, o coordenador da Defesa Civil em Registro, Ronaldo Ribeiro explica que as pessoas desalojadas estão precisando de doações. “Assim gostaríamos de contar, mais uma vez, com o apoio e a solidariedade de todos principalmente com a doação de cestas de alimentos, leite em pó, fraldas, roupas de bebes, água, colchões produtos de limpeza entre outros materiais e gêneros que poderão ser entregues à Defesa Civil do Município de Registro para doação às famílias necessitadas”, pede. Toda doação poderá ser realizada diretamente no Departamento Municipal de Bem Estar Social da Prefeitura de Registro, localizado à Rua São Francisco Xavier, 165.
Maiores esclarecimentos podem ser feitos pelo fone (13) 3828-2059 no FUNSSOL ou no Departamento de Bem Estar pelo fone (13) 3828-2050.
A comunidade também pode ajudar as vítimas da enchente em Registro colaborando com qualquer quantia em dinheiro que será revertido para aquisição de alimentos e itens de primeira necessidade. Para tanto, a Prefeitura abriu duas contas para especificamente esse fim. São elas: Agencia Banco do Brasil S/A, agência nº 0492-8 - Registro/SP
conta corrente nº 56.000-6 e Caixa Econômica Federal, agência nº 0903, operação nº 006, conta corrente nº 000200-1

FONTE PREFEITURA DE REGISTRO

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Cidade de Registro inundada : nosso futuro próximo é de risco

 



vc repórter: cheia do rio Ribeira traz inundações a Registro
02 de fevereiro de 2010 • 21h58



A cheia do rio Ribeira, que dá nome ao vale onde se encontra Registro (SP), perto da divisa com o Paraná, é a causa dos alagamentos da manhã desta terça-feira (2).

O fenômeno foi registrado por André Oliveira, internauta de Peruíbe (SP). Áreas conhecidas da cidade, como o centro histórico da cidade e o museu da imigração japonesa da cidade, conhecido como KKK, estão debaixo d´água.

De acordo com a agência meteorológica Climatempo, a cheia do rio é normalmente registrada no fim do verão, mas as constantes chuvas a partir da última primavera adiantaram o fenômeno.

A previsão para os próximos dias no vale do Ribeira é de sol, muito calor e pancadas moderadas de chuva à tarde até o fim da semana. A região, porém, continua em alerta, pois o nível do rio não deve baixar tão cedo.

O internauta André Oliveira, de Peruíbe (SP), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

FONTE SITE TERRA

CONTRADIÇÕES DOS NOSSOS ONGUEIROS E SIMPATIZANTES



Os grandes prejudicados pela falta de emprego em Peruíbe são os peruibenses de nascimento ou forasteiros pobres "naturalizados", que aqui habitam por opção, obrigação ou por temor em migrarem. Os aposentados migrantes de classe média podem contar com uma considerável qualidade de vida, a qual não pode ser garantida para a maioria dos "nativos". Os nossos ONGUEIROS focam na preservação do ambiente, sempre se esquecendo que a qualidade de vida da maior parte da população local, não pode se restringir a água potável, ar puro e "sossego", mas a algo que também reúne CONDIÇÕES DE SUBSISTÊNCIA. Só recentemente, vi ongueiro falando em UMA  ALTERNATIVA de "desenvolvimento sustentável". Como expliquei antes, um raciocínio cheio de limitações, o qual merece análise dos internautas.

Eu acho engraçado quando esse pessoal faz uma "crítica ao dinheiro", ao interesse de muitos dos locais em aumentarem seus rendimentos (ou passar a terem algum) com um grande investimento tipo PORTO BRASIL. Sabem, é simples pregar contra o desejos materiais dos que foram (ou ainda são) pró-porto, quando vários desses defensores da ecologia possuem TV  por assinatura, internet em casa,  automóvel (polui, mas muitos deles têm), casa própria e outras coisas que a publicidade afirma serem imprescindíveis na nossa sociedade de consumo. Eu fico espantado com essa estranha forma de pensar. Falam coisas lindas, sempre pregando que temos que estar em sintonia com o ambiente, com a natureza, um belo papo....mas vai alguém ver o padrão de vida da maior parte desse pessoal, a classe social dessa gente, os bairros em que moram, quando residem aqui. Caraguava? Veneza? Vila Erminda? Esse pessoal passa longe. Peruibenses pobres não se interessam por uma certa ONG, principalmente quando não são caiçaras. Não se sentem representados, e com toda razão.

A existência nos nossos bairros suburbanos, como o Caraguava, continua dura. Continua a existir o terrível Caraguava da miséria, das crianças sujas e descalças, dos barracos, dos esgotos a céu aberto, das enchentes, da prostituição infantil na beira da estrada, etc. Para que os mais humildes possam se interessar em respeitar o meio ambiente, é preciso lhes dar condições para superarem tantos sofrimentos. Se os ditos ecologistas salvadores não se importam com isso, claro que a impopularidade dos mesmos acaba se tornando enorme, o que só prejudica a causa.


 O roubo de residências já preocupa mesmo fora da temporada. Claro que para muitos ongueiros, veranistas simpatizantes e membros do núcleo da terceira idade, esse problema se resolve pagando pelos serviços de alguma dessas diversas firmas de segurança, que proliferam na cidade. E os ongueiros dizem que Peruíbe se "tornaria violenta", com a instalação do Porto. Não temos criminalidade alta agora? O que faz empresas como a PERSEG prosperarem aqui? Mas não: a barbárie "viria" com o Porto. Agora, estamos no sossego. Acredite quem quizer.


Me parece claro que só agora, tardiamente, que ficou evidente para os radicais ecologistas a imperfeição de seu discurso, pois até agora só conseguiram desprezo e até raiva do povo. Em Peruíbe se agrava o descalabro social. A alternativa proposta por um líder ongueiro diz que Peruíbe melhorará, servindo de condomínio praiano para aposentados, para anciãos forasteiros com melhores ganhos. O notável é que essa idéia não é nova, que o diga o lema TERRA DA ETERNA JUVENTUDE. Nos anos setenta, aqui já era o paraíso dos velhinhos, agora é ainda mais....e não prosperamos. Claro, só pode ser culpa dos nossos governantes. Tudo bem que não faltam exemplos de como aposentados bem de vida costumam ser exploradores, mas isso não vem ao caso. Todos eles merecem descançar em Peruíbe. Aposentou, qualquer um vira boa gente por aqui. Prefiro uma estratégia de integração ao Vale do Ribeira.

Peruibenses menosprezam a ecologia, por acreditarem em uma proposta faraônica? Pois eu digo que os ongueiros menosprezam o nosso povo, pois acham que por serem mais instruídos, e de condições sociais melhores, sabem mais, respeitam mais, defendem mais Peruíbe e os reais interesses dos moradores. Para eles tudo o que dizem é muito bom, o que se demonstra estar errado.