sábado, 30 de janeiro de 2016

PARA UM BOM ENTENDEDOR, UMA BOA CHARGE BASTA - JANEIRO DE 2016



E aí, "Lulão", o senhor está pronto para o momento mais difícil da sua carreira política? Tenho essa charge arquivada faz uns dois anos ... sempre esperando pela postagem certa para utilizá-la, e ela finalmente chegou. Pensei, pensei, e aí está: uma boa charge diz tudo.

O destino do Lula é o de se tornar um presidente de pouca importância na história brasileira, alguém que só deixará saudades entre os mais extremistas, justamente aqueles que tacham o blogueiro aqui de radical e extremista. Ah, você votou no companheiro e ficou ofendido? Então relaxa, e assista ao vídeo abaixo:





Para quem acha que ele fará falta, aí está a minha "homenagem".


MARCADORES: APARTAMENTO TRÍPLEX NO GUARUJÁ, EX-PRESIDENTE LULA, INVESTIGAÇÃO, BRASIL, BRASILEIROS, GOVERNO DILMA / PT, NOSSO PAÍS NÃO PODE VIVER SEM VOCÊ!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

VINICIUS TORRES FREIRE / PACOTE DE CRÉDITO REFRESCA VIDA DE ALGUNS SETORES - JANEIRO DE 2016




O governo anunciou enfim o tal "pacote de crédito", ontem, uma tentativa de aumentar empréstimos para alguns setores da economia. Vai dar um jeito na crise? Não. Pode ser que ajude a evitar que a crise piore, para alguns setores beneficiados. Mas, se nada mais for feito, talvez o pacote não ajude nem a enxugar gelo.

O plano foi mais criticado pelo que ele não é do que pelo que ele de fato faz, na prática.

Como a gente já disse aqui no Jornal da Gazeta, a medida com efeito mais direto na vida do cidadão comum pode ser o uso do FGTS como garantia para empréstimos consignados. Você poderá pedir um empréstimo dando como espécie de fiança parte do dinheiro que você tem FGTS. Qual a vantagem? Com uma garantia boa de que não vai tomar calote, o banco pode emprestar mais dinheiro, com taxas de juros muito menores. Para quem está enforcado em dívidas horríveis como cartão de crédito e cheque especial, pode ser uma saída: trocar uma dívida horrendamente cara, com juros de 400% ao ano, por uma dívida com juros de 30%.

Mas essa possibilidade ainda precisa ser aprovada no Congresso.

Outra medida que pode ter impacto na vida do dia a dia é o possível aumento do crédito para compra de imóveis.

Para pequenos empresários, o governo pretende facilitar a vida para quem precisa de capital de giro: isto é, aquele dinheiro para bancar o estoque, pagar o fornecedor etc. Para pegar empréstimo, o empresário pequeno precisa de garantias, que em geral não tem como oferecer, por ter poucos bens, por exemplo. Sem garantias, o empréstimo não sai ou fica caro. O governo vai fazer com que o BNDES ofereça garantias para esse empréstimo. Isto é, se o negócio é bom, o banco do governo banca as garantias que o pequeno empresário não tem. O empréstimo sai ou sai mais barato, com taxas menores. No mais, a coisa é agricultura ou para empresas maiores, para investimentos em infraestrutura, grandes obras, que estão mal paradas porque o governo não consegue fazer os projetos.

Ou para refinanciar a dívida de quem tomou empréstimo no BNDES para comprar máquinas e equipamentos e agora não tem como pagar. Enfim, vai refrescar a vida de alguns setores. Pode evitar algumas quebradeiras. Mas a crise continua. 



MARCADORES: BNDES / BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL, RECESSÃO, BRASIL, BRASILEIROS, PACOTE DE CRÉDITO DO GOVERNO DILMA / PT

DENUSE CAMPOS DE TOLEDO / O GOVERNO NÃO CONSEGUE AJUSTAR AS FINANÇAS - JANEIRO DE 2016



A queda do desemprego em dezembro pode até dar a ideia de recuperação, mas teve o componente sazonal. No final do ano cai a procura por emprego. Mesmo assim foi o pior dezembro em oito anos. A taxa anual média de desemprego cresceu 42,5% de 2014 pra 2015, indo de 4,8 para 6,8%. E o mercado de trabalho não piorou só em relação ao emprego. Piorou também a qualidade. Houve o corte de um milhão e meio de vagas com carteira assinada e os serviços domésticos, que vinham caindo desde 2010, cresceram 1,5% E foi a primeira queda do rendimento real desde 2004. Pra este ano a expectativa é de mais desemprego. As empresas continuam se ajustando à atividade mais fraca, o que reforça o ciclo negativo que estamos vivendo. Desemprego e queda de renda reduzem o consumo, dificultando a reação da economia. Sendo que o consumo ainda vai ser prejudicado pela inflação, que deve continuar elevada, principalmente com a sinalização do Banco Central de que não deve aumentar mais os juros. Foi o que ficou da ata da reunião do Copom divulgada hoje. Da reunião em que decidiu manter a taxa básica em 14,25%, contrariando a indicação de que haveria alguma elevação, pra garantir comportamento melhor da inflação. Não que a alta dos juros fosse ter impacto imediato. A inflação segue pressionada pelo aumento de custo das empresas, pelo tarifaço, a alta dos alimentos. Até se questionava o custo de elevar os juros com a economia em recessão. Mas o fato de BC dar a entender que jogou a toalha e não vai mais aumentar os juros, por pressões políticas, gera expectativas muito ruins. E as expectativas podem fazer a inflação subir mais, já que estimulam a indexação, correções preventivas de preços, repasses de custos. Pra completar o quadro, o governo não consegue ajustar as finanças. Após o rombo recorde de 2015, tenta garantir algum superávit com mais aumento da carga de impostos, insiste na CPMF. Fala também em reforma da Previdência, já que a maior despesa vem daí. Só que tem a resistência política e mudanças, como a idade mínima pra aposentadoria, não teriam efeito a curto prazo. A previsão ainda é de desequilíbrio das finanças públicas, o que aumenta as incertezas para a economia e até a inflação. E o governo ainda fala em adequar a meta fiscal à receita e deve liberar mais de 80 bilhões em crédito direcionado, aproveitando que os bancos públicos estão com mais caixa, depois do acerto das pedaladas fiscais. É assim que vai sair o ajuste e a reestruturação da economia, com a velha fórmula de incentivos pontuais? Eu volto na segunda. Até lá.

MARCADORES: POSSÍVEL VOLTA DA CPMF, REFORMA DA PREVIDÊNCIA, INFLAÇÃO, GOVERNO DILMA / PT

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

VINICIUS TORRES FREIRE / PACOTINHO DE CRÉDITO, NO MÁXIMO, SERÁ REMENDO - JANEIRO DE 2016




Amanhã pode ser dia de o governo anunciar um pacotinho de crédito. Quer dizer, medidas para facilitar empréstimos pessoais, crédito para comprar casa, capital de giro para pequenas e médias empresas, crédito especial para empresas que vendem lá fora, que exportam.

Pode não sair tudo amanhã, mas o governo deve dar as linhas gerais da coisa na reunião do Conselhão. O Conselhão é o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, um grupo de empresários, banqueiros, sindicalistas e representantes de movimentos sociais convocados pelo governo da dar sugestões.

Pois bem, o que o governo pode anunciar de prático, para o comum dos mortais? Pode permitir que as pessoas usem parte do FGTS como garantia para um empréstimo. Isto é, se a pessoa dá calote, não paga o empréstimo, o dinheiro do FGTS cobre o calote. Qual a vantagem? Tendo uma garantia tão boa, o empréstimo fica mais fácil e mais barato.

O governo também quer dar um jeito de fazer com que os bancos públicos facilitem o empréstimo para pequenas e médias empresas, dinheiro para capital de giro: aquele usado para pagar fornecedores e necessidades do dia a dia da empresa.

O governo pretende também dar um jeito de facilitar o crédito para a compra de casas, que caiu mais de 30% no ano passado.

Vai ter algum resultado, se sair do papel? Talvez impeça a recessão de piorar um pouquinho, lá pelo final do ano, se tudo der certo. O problema da economia brasileira não está aí. Aliás, tem muita gente que nem quer pegar dinheiro emprestado, com medo do futuro. As taxas de juros subiram. Para as pessoas físicas, eram na média 64% ao ano, em dezembro. Um ano antes, 50%. Pela primeira vez em pelo menos 10 anos, o total de dinheiro emprestado no país diminuiu. Os bancos têm receio de emprestar, menos gente pode tomar emprestado.

O buraco do Brasil é mais embaixo. O país precisa de mudanças maiores. Se o pacotinho de crédito sair do papel, será um remendo. No máximo.


MARCADORES: PACOTE DE CRÉDITO, FGTS, EMPRÉSTIMOS PESSOAIS, TAXA DE JUROS, BRASIL, BRASILEIROS, GOVERNO DILMA /PT

ALGUNS VÍDEOS DO DEPUTADO JAIR BOLSONARO EM PORTO ALEGRE - JANEIRO DE 2016



JAIR BOLSONARO SENDO RECEBIDO NO AEROPORTO DE PORTO ALEGRE




ENTREVISTA DE JAIR BOLSONARO AO PROGRAMA TIMELINE DA RADIO GAÚCHA - PORTO ALEGRE




RÁDIO LIVRE ENTREVISTA O DEPUTADO FEDERAL JAIR BOLSONARO - 25 DE JANEIRO DE 2016




ENTREVISTA DE JAIR BOLSONARO NO PROGRAMA ESFERA PÚBLICA DA RÁDIO GUAÍBA


MARCADORES: DEPUTADO FEDERAL JAIR MESSIAS BOLSONARO, ENTREVISTAS EM EMISSORAS DE RÁDIO, RECEPÇÃO NO AEROPORTO DE PORTO ALEGRE, RIO GRANDE DO SUL, SUL DO BRASIL, POLÍTICA, SOCIALISMO, COMUNISMO, MARXISMO CULTURAL, OPOSITOR AO GOVERNO DILMA / PT, JAIR BOLSONARO PRESIDENTE EM 2018


PERUÍBE ALAGADA, QUARTA-FEIRA, 27 DE JANEIRO DE 2016





Na tarde desta quarta-feira, 27 de janeiro de 2016, a chuva forte provocou vários alagamentos pela cidade, tradicionalmente despreparada para essa adversidade. Veremos o que o DIA SEGUINTE reserva para Peruíbe.



MARCADORES: PERUÍBE, PERUIBENSE, CHUVA FORTE, TORMENTA, ALAGAMENTOS, RISCO DE ENCHENTE

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

DENISE CAMPOS DE TOLEDO / ENTRE DÚVIDAS, PROJEÇÕES NÃO PARAM DE PIORAR - JANEIRO DE 2016



O ano começou bem pior que se previa e olha que janeiro nem terminou. Não bastassem os problemas domésticos, agora vêm com mais intensidade as preocupações de fora. A desaceleração da China e a queda dos preços do petróleo e outras commodities podem comprometer o retorno financeiro das exportações de produtos básicos e prejudicar empresas como a Vale e a já debilitada Petrobrás. No exterior, o risco de quebra de empresas da área e calotes tendem a deixar o crédito mais restrito. Mas o Brasil ainda é uma das principais travas à economia global. Recessão, inflação e desgoverno colocam o País numa posição bem desfavorável. Vamos ter dois anos seguidos de recessão pesada, o que nunca ocorreu. E sem saber o que o governo pode e quer fazer pra reverter esse quadro. Reforma da Previdência, mais crédito para empresas e famílias, sem comprometer o ajuste fiscal, concessões de infraestrutura, maior controle da inflação. É por aí mesmo. Haverá até um conselhão com empresários, banqueiros, sindicalistas e representantes da sociedade para propor saídas para a crise. Mas será que vai haver disposição política pra fazer o que é certo. Por posturas ideológicas e falta de jogo de cintura, o governo deixou o País ser arrastado para a atual combinação de crises - política, econômica, de confiança... Será que mudou? A vacilada do Banco Central em relação aos juros não foi um bom sinal. A impressão é que deixou de elevar os juros não só por se preocupar com a recessão mas por pressão política mesmo. E os vários usos cogitados, agora, para o Fundo de Garantia??? Não que se deva estrangular o crédito e projetos sociais O problema é de onde e de que forma virá o dinheiro. É por dúvidas assim que as projeções não param de piorar. Eu volto na quinta. Até lá.


MARCADORES: BANCO CENTRAL, RECESSÃO, RETRAÇÃO DA CHINA, VALE DO RIO DOCE, PETROBRÁS, BRASIL, BRASILEIROS, GOVERNO DILMA / PT

SANTOS RECEBE INSCRIÇÕES PARA NOVO CONCURSO COM 257 VAGAS - JANEIRO DE 2016

São 48 cargos que exigem diplomas dos ensinos Fundamental e Médio

Da Redação


Dois novos concursos da Prefeitura de Santos recebem inscrições a partir desta segunda-feira (25). Os salários são de até R$ 2.365,34.

São oferecidas 257 vagas para 48 cargos que exigem diplomas dos ensinos Fundamental e Médio.

Todos os postos têm vale-refeição de R$ 359,26/mês. As inscrições deverão ser feitas apenas pelo site do organizador do processo seletivo, o Ibam Concursos: www.ibamsp-concursos.org.br. O prazo acabará em 25 de fevereiro.

Segundo a Administração Municipal, há mais de 20 anos a Cidade não tinha concurso público para as funções de jardineiros, carpinteiros, auxiliares de cenografia, borracheiros, entre outros.

As provas objetivas já têm duas datas pré-programadas pela Prefeitura: 20 de março e 3 de abril. O martelo será batido conforme a quantidade de inscritos. Os cargos operacionais, que vão de agente de instalação de telefonia até vidraceiro, terão provas práticas no fim de abril.

Isenção

Doadores de sangue, desempregados e pessoas que ganham até R$ 880,00 podem escapar do pagamento das taxas de inscrição, que vão de R$ 49,00 a R$ 65,00.

Para isso, devem entrar no site do Ibam, preencher um cadastro, imprimir o regulamento, separar os documentos e ir na Arena Santos (Av. Rangel Pestana, 184, Vila Mathias) entre quarta e sexta-feira da semana que vem, das 10 às 16h.

Panorama

Outros dois concursos já foram lançados pela Prefeitura de Santos nos últimos 15 dias, com 187 vagas. Somados aos dois editais de ontem, a Administração oficializou a criação de 444 vagas em 2016. Outras 12 devem ser abertas na semana que vem.




FONTE: A TRIBUNA









MARCADORES: SANTOS, SANTISTA, BAIXADA SANTISTA, LITORAL PAULISTA, CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL, EMPREGO, OPORTUNIDADES

domingo, 24 de janeiro de 2016

CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL PARA A PREFEITURA DE CAMPO GRANDE, COM 1988 VAGAS / MATO GROSSO DO SUL - JANEIRO DE 2016




A prefeitura de Campo Grande, capital do estado do Mato Grosso do sul, divulgou três editais de concurso público para 1.988 vagas em cargos de vários níveis de escolaridade. Os salários variam de R$ 797,42 a R$ 5.033,44. A Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura (FAPEC) é a organizadora responsável pelo concurso.

As inscrições vão do dia 25 de janeiro até 23 de fevereiro de 2016, e tem de ser feitas pelo site da FAPEC  http://fapec.org/concurso


O link com os três editais está logo abaixo:

EDITAL PREFEITURA DE CAMPO GRANDE 2016


FONTE: ACHE CONCURSOS










MARCADORES: CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL, CIDADE DE CAMPO GRANDE, ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL, REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL, EMPREGOS, OPORTUNIDADES

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

LULA DIZ: "NESTE PAÍS NÃO TEM UMA VIVA ALMA MAIS HONESTA DO QUE EU." 20/01/2016 - JANEIRO DE 2016



O ex-presidente da república caprichando na humildade. Cada um com sua opinião sobre si mesmo, mas apenas sei que nunca confiei em gente que adora dizer o bizarro "nunca fiz mal a ninguém", ou algo parecido.

Se algum "companheiro" confuso ou em início de desilusão aparecer por aqui, por favor, assista ao vídeo abaixo. Garanto que ajuda.





E encerro a postagem com um excelente MENESTREL. Visitem o canal dele. Rio muito .... e aprendo também.






MARCADORES: EX-PRESIDENTE LULA ENTREVISTADO, EXEMPLO EXTRAORDINÁRIO DE HUMILDADE, BRASIL, BRASILEIROS, POLÍTICA, IDEOLOGIA, DILMA VAI DAR A VOLTA POR CIMA ... NÃO É MESMO?

PERUBA CITY SKYLINE PARTE DOIS: ALGUNS FATOS QUE NÃO FAVORECEM A VERTICALIZAÇÃO URBANA DOS BAIRROS PRAIANOS - JANEIRO DE 2016












Aos que consideram a VERTICALIZAÇÃO DOS BAIRROS PRAIANOS uma necessidade para o desenvolvimento peruibense, recomendo que assistam aos vídeos acima. Uma recessão gravíssima está apenas começando no Brasil, a qual tende a afetar severamente o mercado imobiliário durante anos, e considero que coisas mais importantes merecem ser debatidas, como os efeitos da crise nacional no turismo, e a busca por alternativas econômicas urgentes para este município. 


POSTAGENS RECOMENDADAS:

ESCOLHAS TÊM CONSEQUÊNCIAS : ISSO TAMBÉM VALE PARA A PERUÍBE ATUAL

PERUBA CITY SKYLINE


MARCADORES: PERUÍBE, PERUIBENSE, PERUIBANO, PERUBA CITY, VERTICALIZAÇÃO, PRÉDIOS ALTOS, MERCADO IMOBILIÁRIO, IMÓVEIS, CASAS, APARTAMENTOS, PRAIA, ORLA DE PERUÍBE, BAIRROS PRAIANOS, SKYLINE, PANORAMA URBANO, JORNAL DA GLOBO / IMÓVEIS REFLEXOS DA CRISE, RECESSÃO BRASIL 2016, DEPRESSÃO ECONÔMICA, GOVERNO DILMA / PT E MAIS UM DOS SEUS FIASCOS



quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

CONSTRUÇÃO CIVIL DEVE REGISTRAR MAIS DEMISSÕES EM 2016 - JANEIRO DE 2016



Câmara Brasileira da Indústria da Construção aponta que obras públicas estão em fase final e não existem obras começando 

DO ESTADÃO CONTEÚDO


A construção civil poderá perder mais empregos em 2016 do que os cortes registrados no ano passado, afirmou o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins.

De acordo com o executivo, as obras públicas que estão em andamento, incluindo o segmento mais popular do Minha Casa Minha Vida (MCMV) e os projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), devem acabar antes do final de 2016. "Não tem obra começando, só acabando. E terminou a obra, dispensa o trabalhador", afirmou o presidente da CBIC.

O executivo ressaltou que, para evitar esse cenário, é necessário a "redução do tamanho do Estado" e não se pode mais aplicar reduções de investimento.

Ele explicou que o ano de 2015 foi marcado pela falta de recursos públicos, levando a atraso em pagamentos do governo para empresas, e pelo esvaziamento da caderneta de poupança, limitando os recursos para empréstimos. Este ano, por sua vez, poderá registrar a falta de reposição de obras. "Não tem perspectiva de obra nova de infraestrutura ou da faixa 1 do Minha Casa. Precisa começar um novo ciclo, caso contrário, não tem como segurar o emprego", afirmou.

A construção civil perdeu 416.959 vagas no ano passado e foi o segmento com segundo maior número de cortes, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O resultado foi melhor do que o projetado pela CBIC, de 450 mil. "No ritmo que vínhamos, a expectativa era pior mas percebemos que não tinha mais onde cortar", disse o presidente da CBIC.

O executivo pede medidas estruturais na economia e discute com desconfiança possíveis estímulos do governo. "Se forem aplicadas medidas estruturais na economia, o emprego pode estabilizar ou, pelo menos, não cair. Mas se não diminui o tamanho do Estado ou continuar cortando investimento, vai para o buraco", afirmou Martins. "A diminuição da máquina pública abre espaço para queda de juros, porque reduz o risco. Com isso, cai o custo de investimento", acrescentou.

Sobre o impasse político, Martins disse entender que o governo não tem atualmente "muita representação no Congresso", o que seria necessário para aplicar medidas de ajuste. "Ou ele recupera a força no Congresso ou a sociedade se organiza para que isso aconteça", disse o presidente da CBIC.

Novo PAC

José Carlos Martins voltou a ressaltar que a principal reivindicação do setor é o pagamento de quase R$ 7 bilhões em atrasos das obras públicas, o que já seria suficiente para dar fôlego às construtoras. O governo estuda medidas para estimular a construção, que responde rápido aos incentivos, como forma de reanimar a economia. A nova estratégia foi batizada no Palácio do Planalto de "novo PAC".

Já sobre a chegada da terceira fase do MCMV, o executivo disse que ainda não há grandes expectativas de contratação de imóveis na faixa 1 do programa, que oferece subsídio estatal para os compradores das unidades. Enquanto isso, por mais que os outros segmentos, como a faixa 2 e 3, continuem a crescer, eles "não compensam a queda do mercado em geral". Essas faixas têm pouco subsídio do governo e, como incentivo para famílias de baixa renda, oferecem financiamentos com juros menores que os praticados no mercado.



FONTE: A TRIBUNA


MARCADORES: CONSTRUÇÃO CIVIL, MERCADO IMOBILIÁRIO, IMÓVEIS, IMOBILIÁRIAS,VENDA DE IMÓVEIS EM, ALUGUEL DE IMÓVEIS EM, BAIXADA SANTISTA, LITORAL PAULISTA, SANTOS, SANTISTA, PRAIA GRANDE, PRAIAGRANDENSE, MONGAGUÁ, MONGAGAVENSE, ITANHAEM, ITANHAENSE, PERUÍBE, PERUIBENSE, VALE DO RIBEIRA, VALERIBEIRENSE, ANA DIAS, ITARIRI, ITARIRIENSE, PEDRO DE TOLEDO, PEDROTOLEDENSE, MIRACATU, MIRACATUENSE, JUQUIÁ, JUQUIAENSE, REGISTRO, REGISTRENSE, IGUAPE, IGUAPENSE, ILHA COMPRIDA, ILHACOMPRIDENSE, SETE BARRAS, SETEBARRENSE, PARIQUERA-AÇU, PARIQUERENSE, JACUPIRANGA, JACUPIRANGUENSE, CANANÉIA, CANANIENSE, BARRA DO TURVO, BARRATURVENSE, CAJATI, CAJATIENSE, IPORANGA, IPORANGUENSE, ELDORADO, ELDORAENSE, CURITIBA, CURITIBANO, BRASIL, BRASILEIROS, DESEMPREGO, DEMISSÕES, GOVERNO DILMA / PT COLECIONANDO MAIS UM FIASCO

DENISE CAMPOS DE TOLEDO / A CRISE É SÉRIA DEMAIS PARA SUPORTAR AMADORISMO - JANEIRO DE 2016



O governo tenta minimizar os novos dados do mercado de trabalho, a perda de mais de um milhão e meio de empregos formais em 2015, assim como tenta minimizar a gravidade da crise que o País enfrenta. Difícil uma recuperação do mercado de trabalho com a recessão prevista, este ano, em 3... 3,5%. O mercado de trabalho é o último a reagir, depois que toda a economia engata um movimento melhor. No ano passado a indústria e a construção foram os setores que mais demitiram. Agora vem um ajuste mais forte no comércio e em serviços. Aliás, as contratações temporárias de final de ano, do comércio, não conseguiram evitar que fosse o pior dezembro, para o Caged, desde 2008. Ano em que a crise internacional bateu com mais intensidade por aqui. E aí lá em Davos, no Fórum Econômico Mundial, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, diz que o Brasil passa por uma fase de transição, se adequando ás novas condições do mercado global, com a queda dos preços das commodities, de produtos básicos, como alimentos, minério, petróleo, mas segue consolidando os ganhos sociais. E mais: já poderá ter alguma recuperação no final do ano. Como acreditar nisso, com a falta de um programa melhor estruturado pra recolocar a economia nos eixos e com as decisões que o governo vem tomando com uma postura muito mais política e ideológica do que técnica. A atuação estabanada do Banco Central em relação aos juros básicos foi um exemplo claro disso. Induziu o mercado a acreditar que elevaria os juros para fazer com que a inflação caminhasse para o centro da meta até o final de 2017. Essa estratégia pode até ser criticada. Juros mais altos poderiam reforçar a recessão, a queda do consumo, o desemprego. Agora, não dá pra aceitar a mudança de postura do BC, a partir da piora das projeções do FMI para a economia brasileira. Projeções piores não são novidade. Isso nunca foi comentado pelo BC e, principalmente, na véspera de uma decisão sobre os juros. O que fica é a perda de credibilidade da instituição, pela suspeita de ter agido sob pressão, como já aconteceu no passado. A crise do País é séria demais pra ser administrada com ideologia, amadorismo, medidas pontuais, sem clareza de posições e posições corretas.Tudo isso só derruba mais a confiança que, entre outros efeitos negativos, pode intensificar o aumento do desemprego. Eu volto na segunda. Até lá.


MARCADORES: UM MILHÃO E MEIO DE VAGAS FORMAIS DE TRABALHO ACABARAM EM 2015, MERCADO DE TRABALHO EM CRISE, DESEMPREGO ALTÍSSIMO, GOVERNO DILMA / PT


VINICIUS TORRES FREIRE / MUNDO EM CONFUSÃO FINANCEIRA AFETA O BRASIL - JANEIRO DE 2016



As finanças do mundo lá fora estão uma bagunça. Há medo nos mercados internacionais. Essa alta feia do dólar hoje, aqui no Brasil, não aconteceu por causa das nossas confusões. O dólar foi a quase R$ 4,11 porque os grandes donos do dinheiro do mundo estão fugindo de países, empresas e negócios que consideram arriscados.

Quando esses grandes donos da dinheirama temem um negócio, obviamente eles vendem o que aplicaram nesses países e empresas. Então, os preços caem: cai o preço da moeda brasileira e de outros países com problemas, cai o preço das ações.

Qual o motivo dessa confusão que recomeçou logo no início do ano? Ninguém sabe muito bem, pra falar a verdade. Tem a ver com um crescimento menor da China, a segunda maior economia do mundo. Se a China cresce menos, compra menos de países que produzem coisas como nós, comida, minérios, metais, petróleo. Se compra menos, os preços caem. Se os preços caem, a nossa vida fica difícil, a gente cresce menos, as empresas crescem menos, os investidores vão embora.

A confusão tem a ver com o preço do petróleo. O preço cai muito. Era de mais de 100 dólares na metade de 2014. Agora, está em 27 dólares. O preço cai porque está sobrando petróleo: o consumo cresce muito pouco, a produção continua alta, porque os países produtores do cartel da Opep não querem reduzir a produção. Querem deixar o preço cair e quebrar a concorrência deles, nos Estados Unidos e outros lugares, até como o Brasil. Muita empresa de petróleo pode quebrar e dar calote. Quando grandes calotes acontecem no mundo, bancos e emprestadores de dinheiro em geral tem prejuízo. Se tem prejuízo, ficam na retranca, emprestam menos.

Isso tudo e o medo de que se investiu demais em país emergente, mais pobre, pode estar levando os investidores a se livrarem de investimentos arriscados.

Isso nos afeta. Significa um mundo em confusão financeira, empréstimos mais difíceis, China em baixa, petróleo em baixa, Petrobras ainda mais em baixa, dólar mais caro, talvez mais inflação.

A coisa já estava feia por aqui. Se o mundo continuar essa bagunça, vai ficar pior.



MARCADORES: CHINA, ECONOMIA CHINESA, QUEDA DA DEMANDA DA CHINA, QUEDA NO VALOR DO PETRÓLEO, ALTA DO DÓLAR, EXPORTAÇÕES BRASILEIRA, AÇÕES DA PETROBRAS EM QUEDA


terça-feira, 19 de janeiro de 2016

A PETROBRÁS VERSUS O CHOQUE DE REALIDADE (E A "TERCEIRA PRAGA") - JANEIRO DE 2016




Estava guardando essa imagem desde o ano passado, apenas esperando que a crise chinesa (e a inevitável redução na importação de petróleo por aquele país) tivesse o seu efeito. Aquela que já foi considerada a primeira multinacional brasileira, incrível geradora de empregos e pólo tecnológico, virou uma ridícula caricatura de si mesma. 

Já detonada pelo BILIONÁRIO escândalo de corrupção escancarado pela OPERAÇÃO LAVA JATO (segue firme, Moro!), a nossa super-estatal de "economia mista" tende a sofrer muito com o choque de realidade, pois a menor demanda da china por óleo cru jogou o preço do barril ainda mais para baixo. Mesmo as petroleiras que se encontram em condições melhores do que a Petrobrás tendem a ter suas ações menos valorizadas. Imagina as consequências disso para o nosso "ex-monumento nacional", cujo valor de cada ação chegou ontem a valer R$ 4,80.

Mas, para quem acha que estou pegando pesado, assistam ao vídeo abaixo. Se for fã da dilminha, aguente com coragem.




Ah, o cara foi radical na análise? Ou de acordo com um padrão que acompanho desde o artigo que pode ser visitado neste LINK, a verdade é dura demais para quem foi tão doutrinado pelo DISCURSO GRAMSCIANO?

E caso você queira um, como posso dizer assim, outro "ponto de vista", farei melhor do que isso. Postarei um vídeo, no qual verá multidões POLITIZADAS que foram para as ruas reclamar contra o que realmente importa: R$ 3,80 de tarifa no trasporte público na cidade de São Paulo.





Pois é, esses manifestantes do MPL só podem ter razão, isso que é uma demanda importante para os paulistanos, demais paulistas e até para tantos milhões de brasileiros !!!  O país mergulhando na pior recessão DESDE OS ANOS OITENTA DO SÉCULO PASSADO, um governo federal medíocre já incapaz de cumprir com a suas própria agenda populista por uma crescente falta de dinheiro, os preços dos combustíveis no Brasil - e não no resto do mundo, é claro - encarecendo (a Petrobrás precisa, pois é), inflação alta renascendo, desemprego nas alturas ... mas a turma aí vai pra rua protestar contra os tais R$ 3,80. 

Sempre terão aqueles que, por razões políticas e IDEOLÓGICAS (pois é), se recusarão a ver o que de fato está acontecendo. Mas sem problema, pois a cada novo duro fato, mais gente verá o quanto o futuro próximo do Brasil será prejudicado com a Dilma continuando na presidência.

O impeachment já era? Sei não ... e lá vem mais uma praga, meu povo !!!





A TERCEIRA PRAGA: OS PIOLHOS


POSTAGEM RECOMENDADA: O FRACASSO DO GOVERNO DILMA LEVA O BRASIL DA RECESSÃO À DEPRESSÃO

MARCADORES: NOVELA OS DEZ MANDAMENTOS / TERCEIRA PRAGA OS PIOLHOS, VLOGUEIRO NANDO MOURA FALANDO UMAS VERDADES PARA DESESPERO DA ESQUERDA, AÇÕES DA PETROBRÁS DESPENCANDO, PREÇO DO PETRÓLEO CAINDO, O PRÉ-SAL JÁ ERA. O PRÉ-SAL ACABOU, RECESSÃO SE APROFUNDANDO, MANIFESTANTES DO MOVIMENTO PASSE LIVRE RECLAMANDO DOS R$ 3,80, GOVERNO DILMA / PT PERDIDO, E EU NÃO ME CANSANDO DE AGUARDAR PELO IMPEACHMENT DA "PRESIDENTA" DILMA, QUE SEGUE TEIMOSA COMO O FARAÓ RAMSÉS

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

DENISE CAMPOS DE TOLEDO / BC ENFRENTA UM DILEMA SOBRE JUROS ESTA SEMANA - JANEIRO DE 2016



Essa possibilidade de aumento dos juros tem gerado muita polêmica. É certo que, com a previsão de inflação elevada, o normal seria o Banco Central aumentar mesmo os juros, para frear o consumo e reduzir o espaço para remarcações de preços. Essa estratégia inibe até a indexação, que é a correção de preços, contratos e salários, com base na inflação passada. É assim que os bancos centrais agem em todo o mundo. Só que o Brasil já está em recessão, com queda forte do consumo, que pode se acentuar, com o provável aumento do desemprego. Portanto, o consumo não é o grande problema. O que estamos tendo é muito mais uma inflação de custos, que foi impulsionada pelo tarifaço e ganhou força com a alta do dólar que pesa muito na formação de preços no País. O dólar encarece até o preço do pãozinho, porque deixa o trigo mais caro. Mas o Banco Central, provavelmente, não vai querer ficar assistindo a inflação subir, de braços cruzados. Tem até a questão da credibilidade, que vem abalada desde quando derrubou os juros, por interferência do governo, pra sustentar, via consumo, um ritmo mais acelerado de crescimento. Na época, acabou dando margem para uma inflação mais alta que o governo, em mais uma ação equivocada, quis segurar controlando preços administrados, como energia e combustíveis. Aí a conta veio pesada. Esses preços foram corrigidos com muito mais intensidade, num momento em que a inflação já ameaçava o teto da meta, de 6,5%. Deu no que estamos vendo. Inflação de mais de 10% no ano passado, com previsão que possa passar dos 7% este ano, mesmo com a alta dos juros. Vai ser um dilema essa decisão do Copom. Até porque os juros também pesam na dívida pública, piorando o quadro fiscal, que é a base dos principais problemas da economia. E se os juros derrubarem mais a atividade, ainda tem o reflexo sobre a geração de impostos, comprometendo mais a receita do governo e, consequentemente, o ajuste fiscal. Pra mostrar que está fazendo alguma coisa e tentar, pelo menos, estabelecer uma trajetória melhor pra inflação, o Banco Central deve mesmo elevar a selic. O mercado prevê que a taxa básica de juros suba pra 14,75% ao ano na reunião desta semana, podendo chegar a 15,25% até o final do ano. O Banco Central pode se preparar pra muita chiadeira até da base de apoio do governo. Aliás, se não fosse a pressão que vem do próprio governo, a decisão poderia ser bem mais fácil, sem o peso de ter que mostrar independência.


MARCADORES: BANCO CENTRAL, TAXA BÁSICA DE JUROS, SELIC, GOVERNO DILMA / PT

VINICIUS TORRES FREIRE / RENA E EMPREGO DOS BRASILEIROS ESTÃO CAINDO - JANEIRO DE 2016




A gente sabia que o início do ano teria notícias preocupantes, em especial sobre emprego e salário. Só por milagre seria diferente. O que a gente não esperava é receber outras más notícias, como esse tumulto que está acontecendo na economia mundial, com a China e com o petróleo.

Hoje, a gente soube que o salário médio dos brasileiros começou a cair. Saiu a pesquisa nacional de desemprego, a Pnad contínua. Os dados ainda são meio antigos, são de outubro. Até setembro, pelo menos, o salário médio tinha ficado só na mesma, estagnado, se comparado com o do ano anterior. Agora, começou a cair.

O desemprego aumentou. Em outubro de 2014, estava em 6,6%. Agora, está em 9%. O principal motivo do aumento do desemprego foi o pessoal que estava fora do mercado de trabalho e voltou a procurar emprego. Não foi tanta gente assim que perdeu o trabalho. Mas, mesmo assim, em um ano, diminuiu a quantidade de gente empregada.

Menos gente trabalhando, com salário menor, significa que tem menos dinheiro para o consumo. O comércio já vinha piorando mesmo sem essa queda. Agora, deve piorar mais. Mas desgraça pouca é bobagem. Está todo mundo preocupado com a China, que pode entrar em crise, crescer ainda menos. A China se tornou um dos grandes consumidores do mundo neste século, em particular de mercadorias vendidas pelo Brasil: comida, ferro. E também de petróleo.

Por causa da China, do crescimento fraco da economia mundial e do excesso de produção de petróleo, o preço cai. Em tese, seria uma boa notícia. O problema é que isso prejudica a Petrobras, que foi bem arruinada no primeiro governo Dilma. A empresa está superendividada.Como a Petrobras é na prática uma estatal e a empresa mais importante do país, se ela apodrece ainda mais, o crédito do Brasil também é prejudicado. O mundo olha com ainda mais desconfiança a nossa economia. O dólar sobe.

Em resumo, a nossa crise já era ruim. A gente não precisava de mais um empurrão para baixo. A renda e o emprego dos brasileiros está caindo, e a nova onda de problemas na economia mundial piora ainda mais essa situação.



MARCADORES: CRISE NA CHINA, QUEDA NO PREÇO DO PETRÓLEO, DESEMPREGO EM ALTA, PIORA DA RECESSÃO BRASILEIRA, BRASIL EM DEPRESSÃO, GOVERNO DILMA / PT

PREFEITURA DE SANTOS ABRE NOVO CONCURSO E INSCRIÇÕES COMEÇAM NESTA SEGUNDA - JANEIRO DE 2016



Desta vez, são 85 vagas para 22 cargos diferentes na Administração Municipal 


DA REDAÇÃO
A Prefeitura Municipal de Santos divulgou mais um edital de concurso público para este ano. Desta vez, são 85 vagas para 22 cargos diferentes na administração municipal. As inscrições serão abertas nesta segunda-feira (18).

Além das vagas listadas, que serão utilizadas para o preenchimento de cargos em aberto, também será formado um cadastro reserva para as funções de analista de sistemas e médico veterinário.

As oportunidades disponíveis são: advogado (quatro), arquiteto (uma), assistente social (três), bibliotecário (quatro), biólogo (duas), cirurgião dentista (duas), contador (duas), economista (uma), enfermeiro-obstétrico (quatro), enfermeiro do trabalho (uma), engenheiro civil (quatro), engenheiro químico (uma), engenheiro de segurança do trabalho (uma), farmacêutico (duas), fiscal ambiental (duas), fiscal de obras (três), geólogo (duas), professor de Educação Física (duas), psicólogo clínico (duas), psicólogo organizacional (uma), médico em 32 especialidades (34), instrutor de balé (três), instrutor de violão (duas) e instrutor de teoria musical (uma). Essas três últimas funções não eram beneficiadas com processos seletivos há 22 anos, segundo a Prefeitura.

As inscrições ocorrem até 15 de fevereiro no site do Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam), responsável pelas provas, www.ibamsp-concursos.org.br. A Secretaria Municipal de Gestão (Seges) fará a supervisão de todo o processo seletivo. A taxa de inscrição para todos os cargos custa R$ 88,00.

As provas objetivas estão marcadas para o dia 13 de março. Haverá ainda outra prova, de produção textual, apenas para a função de advogado e, posteriormente, prova de título para todos os cargos.

A previsão da Prefeitura é que o concurso seja homologado no mês de junho, para início das primeiras convocações e nomeações dos aprovados, de acordo com as necessidades e dotações orçamentárias.

Além dos dois concursos anunciados nas últimas duas semanas, outros editais de concurso deverão ser lançados pela administração até o fim deste mês, totalizando 456 vagas em 80 cargos, para repor profissionais que se aposentaram, foram exonerados, contratos emergenciais e ampliação de serviços.



FONTE: A TRIBUNA



POSTAGEM ANTERIOR DO OUTRO EDITAL: CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL NA CIDADE DE SANTOS - JANEIRO DE 2016


LINK DA EMPRESA RESPONSÁVEL PELO CONCURSO: http://www.ibamsp-concursos.org.br/




MARCADORES: SANTOS, SANTISTAS, BAIXADA SANTISTA, LITORAL PAULISTA, CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL, EMPREGOS, OPORTUNIDADES

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

VINICIUS TORRES FREIRE / PETROBRAS COMPENSA PREJUÍZOS COM GASOLINA CARA - JANEIRO DE 2016



O preço da gasolina no Brasil está 35% mais caro que na média do mercado internacional. Um terço mais cara, mais ou menos. No entanto, o preço do barril do petróleo cai sem parar, desde a metade de 2014. Desde então, já caiu 70%. O que acontece?

Os preços dos combustíveis não são livres no Brasil. Quer dizer, os postos podem vender pelo valor que quiserem. Mas, na refinaria, onde se produzem gasolina e diesel, o preço é na prática controlado pelo governo. Por que então a Petrobras está cobrando um preço alto, em relação ao mercado mundial? Porque a Petrobras está quebrada.

Durante anos, mais ou menos entre 2010 e 2014, os preços dos combustíveis ficaram na média muito abaixo daquees do mercado mundial. Como o Brasil importa combustíveis, a Petrobras tinha ainda mais prejuízo. Além do mais, como a gasolina e o diesel estavam baratos, as pessoas consumiam ainda mais, aumentando o prejuízo da empresa.

Por que os preços foram tabelados em nível baixo, entre o final do governo Lula e o primeiro governo Dilma? Para disfarçar que a inflação estava alta, para evitar altas ainda maiores de preços.

Mas esses remendos não funcionam, dão em besteira. A Petrobras tinha prejuízo com o preço baixo e estava gastando demais, para investir até no que não queria e não devia, por ordem do governo, para nem falar da roubança. A dívida da empresa subiu quatro vezes desde 2010. A empresa está meio quebrada. O preço de suas ações e seu crédito estão no lixo. O preço baixo da gasolina afastou as pessoas do etanol. As empresas produtoras de álcool ficaram mal das pernas. A inflação, que estava apenas disfarçada, apareceu quando o governo parou de controlar preços, de modo artificial ou eleitoreiro mesmo. Para piorar, ficou ainda maior. A Petrobras, quebrada, agora compensa seus prejuízos e seu endividamento cobrando combustível mais caro, enquanto o mundo inteiro paga gasolina e diesel mais baratos.


 Em resumo, o país ficou todo torto, a economia ficou toda desajeitada, não se resolveu nada e apenas se criaram mais problemas manipulando preços, coisa que nunca deu certo.



MARCADORES: PETROBRAS QUEBRADA, GASOLINA CARA, PETRÓLEO EM QUEDA LIVRE, BRASILEIROS ENCARANDO UMA GRAVE RECESSÃO, GOVERNO DILMA / PT, ESPERO QUE ALGUM ELEITOR DE DILMA TENHA VINDO AQUI PARA VER MAIS UM FRACASSO DESSE DESGOVERNO QUE ELE TANTO ADORA


TRÊS VÍDEOS SOBRE OS PROTESTOS CONTRA OS 30 CENTAVOS EM SÃO PAULO - JANEIRO DE 2015











MARCADORES: MOVIMENTO PASSE-LIVRE, PASSE-LIVRE PARA ESTUDANTES PAULISTANOS, PROTESTOS EM SÃO PAULO POR CAUSA DO TRANSPORTE PÚBLICO, R$ 0,30 DE AUMENTO DA TARIFA, ÔNIBUS DEPREDADOS, BLACK BOCS, QUEDA NO PREÇO DO BARRIL DE PETRÓLEO, CRISE NA PETROBRÁS, BILHÕES DE REAIS DA PETROBRÁS TRAGADOS PELA CORRUPÇÃO, REVELAÇÕES DA OPERAÇÃO LAVA JATO, AUMENTO DOS PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS, INFLAÇÃO, SE O ÓLEO DIESEL SOBE DE VALOR AS TARIFAS DE ÔNIBUS TAMBÉM, MAS DISSO ESSES MANIFESTANTES NÃO FALAM, O INCOMPETENTE GOVERNO DILMA /PT QUE NÃO MERECE CRÍTICAS DOS MANIFESTANTES, ESTATIZAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO (QUE SERIA PAGA COM DINHEIRO DO CONTRIBUINTE), RECESSÃO / DEPRESSÃO BRASILEIRA, BRASIL, SOCIALISMO, COMUNISMO, MARXISMO CULTURAL

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

PERUÍBE, O LIXO E A LIMPEZA PÚBLICA - JANEIRO DE 2016




De acordo com a prefeitura, o contrato com a Litucera se encerrou, e uma outra empresa assumiu em caráter emergencial os serviços de coleta de lixo e limpeza pública, ou seja, Peruíbe passa por mais uma difícil transição num dos seus serviços públicos mais básicos. 

Mas não tem problema, peruibenses: o valor do IPTU subiu, e suponho que neste ano TUDO VAI SER DIFERENTE, com o aumento da qualidade ... ou qualidade onde ela agora está em falta.

Vamos ser otimistas ... não é mesmo?


MARCADORES: PERUÍBE, PERUIBENSE, COLETA DE LIXO, LIMPEZA PÚBLICA

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

DENISE CAMPOS DE TOLEDO / HÁ POUCA CONFIANÇA NA EXECUÇÃO DA META FISCAL - JANEIRO DE 2016



O pessimismo do mercado não é sem motivo. O governo continua dando um tiro pra cada lado, sem um programa mais coerente de correção de rota da economia. Fala em manter a meta fiscal, com superávit de 0,5% este ano, mas antecipa uma mal explicada liberação de recursos pra a construção e pequenas e médias empresas, através do fundo de garantia, bancos estatais e BNDES. Mesmo sem subsídios, vai transferir recursos do setor público. O fato é que há pouca confiança na execução da meta fiscal. O governo quer a volta da CPMF, que dificilmente será aprovada pelo Congresso. Também defende a reforma da Previdência, que em algum momento vai ter de acontecer mesmo, já que representa 40% dos gastos públicos. Mas tem ambiente político pra fazer isso agora? A fragilidade política do governo aumenta é o risco de medidas que levem a mais despesas. Como essa de querer liberar financiamento. O governo está propondo até a renovação da frota de veículos, tirando os mais velhos de circulação. Quem vai bancar? O consumidor está disposto a trocar o carro? Os números de 2015 mostram um consumo muito mais fraco. Só que, nesse contexto de maior responsabilidade na gestão da economia, a presidente Dilma dá aval para o Banco Central aumentar os juros básicos pra tentar fazer a inflação cair para o centro da meta, os 4,5%, em 2017. Pra este ano já jogou a toalha de novo. É bom que o BC tenha autonomia pra administrar a política de juros. Mas vai ter custo. Pode até mexer com a inflação futura, ao desestimular mais o consumo, a atividade e as remarcações de preços. Vai ser um remédio bem amargo para uma economia que está com a pior recessão desde os anos 30 e desemprego em alta. Sem esquecer que os juros aumentam o endividamento, piorando o quadro geral das finanças públicas. O endividamento preocupa, justamente, pela incapacidade que o governo tem demonstrado na execução do ajuste. E ainda se fala no uso das reservas cambiais pra estimular investimentos. Reservas que são uma garantia para cobertura de pressões no câmbio, compromissos externos. Usá-las com outra finalidade seria mais um descuido fiscal, que deixaria o País ainda mais vulnerável. Vamos ver que medidas o governo está elaborando pra divulgar no final do mês. Como antecipou o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, agora também muito enroscado na Lava Jato, não dá pra tirar coelho da cartola. E é bom que não inventem mesmo alguma saída mágica. O ilusionismo já está custando bem caro. Eu volto na quinta. Até lá.


MARCADORES: VOLTA DA CPMF, JUROS ALTOS, PIOR RECESSÃO DESDE OS ANOS 30 DO SÉCULO 20 / XX, GOVERNO DILMA / PT

O "HERÓI" PERUIBENSE QUE NÓS PRECISAMOS (SONHA, MEU POVO, SONHA!) - JANEIRO DE 2016



Que sobra gente achando que pode "salvar" esta cidade, isso é um fato, mas vou repetir o que já digo a alguns anos: não temos heróis .... ou heroínas. O que Peruíbe necessita é de pragmatismo na política, ou seja, o eleitorado precisa não se deixar levar pelo canto de sereia dos radicais locais.


POSTAGEM RECOMENDADA: DIGO NÃO AOS RADICAIS SEM NOÇÃO DE PERUÍBE



MARCADORES: PERUÍBE, PERUIBENSE, HERÓI, PROBLEMAS PERUIBENSES, SUS, BARULHO DURANTE A NOITE, SEGURANÇA PÚBLICA, POLÍTICA MUNICIPAL, ELEIÇÕES MUNICIPAIS PERUÍBE 2016, COUCH GAG, DESENHO ANIMADO OS SIMPSONS, LA-Z RIDER, HOMER SIMPSON E O SEU CORAJOSO SOFÁ, NED FLANDERS VILÃO, HOMENAGEM AO SERIADO AMERICANO MIAMI VICE

domingo, 10 de janeiro de 2016

VLT JÁ TEM DATA PARA COMEÇAR A FUNCIONAR NA BAIXADA SANTISTA - JANEIRO DE 2016



MARCADORES: VLT / VEÍCULO LEVE SOBRE TRILHOS, TREM INTERMUNICIPAL, BAIXADA SANTISTA, SANTOS, SÃO VICENTE, OPÇÃO PARA OS PASSAGEIROS, 31 DE JANEIRO É O DIA EM QUE O VLT FUNCIONARÁ OFICIALMENTE NA BAIXADA SANTISTA

CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL NA CIDADE DE SANTOS / SP - JANEIRO DE 2016




A Prefeitura de Santos, estado de São Paulo, abriu um concurso público para preencher 102 vagas efetivas e formar um cadastro de reserva para funções nos níveis fundamental, médio e superior. Das 102 vagas abertas, 8 estão reservadas para pessoas com deficiência.

Existem oportunidades para Secretário de Unidade Escolar (3), Inspetor de Alunos (5), Professor de Matemática (4), Língua Portuguesa (4), Inglês (2), História (3), Geografia (4), Educação Física (2), Ciências (3), Arte (3), Adjunto (62) e Educação Especial (7). 


Os salários dos empregos estão entre R$ 1.348,56 e R$ 2.179,59, mais o auxilio alimentação.

As inscrições serão abertas amanhã, dia 11 de janeiro de 2016, e prosseguirão até o dia 15 de fevereiro de 2016, sendo realizadas através do site IBAM-SP http://www.ibamsp-concursos.org.br



EDITAL DO CONCURSO LOGO ABAIXO:

EDITAL CONCURSO PREFEITURA DE SANTOS - SP 2016


FONTE: ACHE CONCURSOS



POSTAGEM RECOMENDADA: TALVEZ


MARCADORES: SANTOS, SANTISTAS, BAIXADA SANTISTA, LITORAL PAULISTA, CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EM 2016, EMPREGO, OPORTUNIDADES, FUNCIONALISMO PÚBLICO, CONCURSEIROS, PERUÍBE, PERUIBENSE

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

LUZ OU TREVAS / FAÇA A SUA ESCOLHA - JANEIRO DE 2016


















TERCEIRO ATO ANTI-DILMA, NA AVENIDA PAULISTA, DIA 16 DE AGOSTO DE 2015 




ATO CONTRA O AUMENTO DA TARIFA NO TRANSPORTE PÚBLICO, REALIZADO EM SÃO PAULO, DIA 8 DE JANEIRO DE 2016




COMENTÁRIO: qual dos dois lados foi para as ruas protestar contra o desgoverno da "presidenta" Dilma? Reclamar dos Cr$ 3,80 é fácil, quero ver ir pra rua contra o aumento da inflação, o desemprego, a queda do poder aquisitivo, a grave recessão ... esqueci de alguma coisa?


MARCADORES: PROTESTO ANTI-DILMA EM 2015, PROTESTO CONTRA OS CR$ 3,80 NO TRANSPORTE PÚBLICO EM SÃO PAULO, GOVERNO MUNICIPAL / PREFEITURA DE SÃO PAULO, GOVERNO ESTADUAL DE SÃO PAULO, GOVERNO DA PRESIDENTE DILMA / PT, CIDADE DE SÃO PAULO, PAULISTANOS, BRASIL, BRASILEIROS, PROTESTO CONTRA CR$ 0,30 É FÁCIL, QUERO VER PROTESTAR CONTRA A CORRUPÇÃO REVELADA PELA OPERAÇÃO LAVA-JATO

VINICIUS TORRES FREIRE / NA CADERNETA DE POUPANÇA, O DINHEIRO ENCOLHE - JANEIRO DE 2016




Se você deixou dinheiro na poupança no ano passado, você despoupou. Sim, ao longo do ano, a quantidade de dinheiro que você colocou lá diminuiu.

No ano passado, a caderneta de poupança rendeu 8%. No ano passado, a inflação foi de quase 11%, como soubemos hoje. Quer dizer, na média, os preços subiram mais do que o rendimento da poupança. É a primeira vez que isso acontece desde 2002.

Logo, isso não é poupar. Muita gente percebeu o prejuízo e saiu da caderneta. No ano passado, o total dos depósitos na poupança caiu cerca de R$ 54 bilhões, para um total restante de R$ 656 bilhões.

Claro que muita gente tirou dinheiro da caderneta porque a situação da economia está ruim. Mas houve quem percebesse o prejuízo e procurasse aplicação mais rentável.

Este ano, a situação da caderneta não deve ser muito melhor. Por ora, estima-se que a poupança deve render uns 9% em 2016, e a inflação média deve subir uns 7%. Um ganho mínimo.

A caderneta tem algumas vantagens. É muito simples de usar, é quase como uma conta corrente no banco. Não paga imposto. Mas essas pequenas facilidades valem a pena de ter prejuízo?

Não. Há aplicações quase tão simples e praticamente tão seguras quanto. Por exemplo, aplicar em um fundo de renda fixa de um grande banco. Nem todos aceitam qualquer valor de aplicação. Todos têm taxa de administração, que come o valor do rendimento. Mas quase qualquer fundo de banco, de renda fixa, rende mais que a poupança. Consulte o gerente do seu banco, olhe os números e saia da poupança.

Há uma aplicação muito melhor que todas essas, que é o Tesouro Direto, que é o empréstimo direto de dinheiro para o governo. É bem mais complicada, exige abertura de conta em corretora, obriga o aplicador a escolher que títulos comprar, exige mais conhecimento. Mas vale a pena estudar. Há títulos do Tesouro rendendo quase o dobro da poupança.

O importante é não bobear, não deixar dinheiro parado na conta, não deixar dinheiro encolhendo na poupança. Em um ano, a diferença parece pequena. No longo prazo, para quem quer fazer um pé de meia, que leva décadas, a diferença vai ser brutal.




MARCADORES: BAIXO RENDIMENTO DA CADERNETA DE POUPANÇA, TÍTULOS DO TESOURO, INFLAÇÃO EM 2015

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

DENISE CAMPOS DE TOLEDO / O QUE O GOVERNO DESEJA MESMO É MAIS IMPOSTO - JANEIRO DE 2016




No ano, até novembro, a queda de produção chegou a 8,1%. Um retrocesso muito forte. Os dados de novembro tiveram influência do desastre de Mariana e da greve de petroleiros,que afetaram a indústria extrativa. Mas a queda de produção está muito disseminada. A indústria entrou em crise bem antes do País. Perdeu muito espaço para os produtos estrangeiros no período de dólar baixo. A produção nacional foi sendo substituída por produtos estrangeiros. Até a indústria fez isso. Pra reduzir custos passou a usar mais insumos e componentes importados. Com menos capacidade de concorrência, as exportações também encolheram. Aí veio a crise do País, com inflação, juros mais altos, queda do consumo. Ficou tudo pior. O dólar subiu, o que pode ajudar. Mas não faz mágica. A ampliação das vendas internas está limitada pela forte queda do consumo e o aumento das exportações não ocorre de uma hora pra outra. É preciso retomar contatos, fazer acordos, o processo é demorado. E ainda tem muita ineficiência, o custo Brasil, os investimentos que o próprio setor vem deixando de fazer. Muita coisa pesa na competitividade.Um dos segmentos com maior queda de produção foi o de bens de capital, máquinas e equipamentos, que são termômetro dos investimentos do próprio setor. A queda de produção nessa área foi de mais de 31% sobre novembro do ano anterior. No ano, mais de 25%. É muita coisa. 2016 não deve ser tão ruim. Mas o mercado já prevê uma queda da produção por volta de 3,5%. Isso depois de toda a queda já acumulada. E olha que essa projeção leva em conta alguma reação das exportações. Mas, como eu disse, vai ser um processo demorado. Até porque o governo também ficou devendo uma ação mais firme no sentido de ampliar os acordos comerciais. Mais um erro em meio a tantos outros que nos levaram à atual crise. E não dá nem pra contar com algum estímulo via desonerações, financiamento mais barato, porque o cobertor está curto. O governo quer mais é aumentar a carga de impostos pra ampliar a receita. Não tem mais dinheiro pra recorrer a velhas fórmulas de estímulos pontuais, com objetivos de curto prazo. O pior é que no exterior as noticias também não são as melhores. A China, em desaceleração, pode partir para uma ofensiva na ampliação das vendas externas, impondo maior concorrência. A economia global deve crescer pouco. A Argentina está se reorganizando e pode ajudar as vendas brasileiras. Mas os ajustes por lá vão levar algum tempo e o país também quer ampliar exportações.É isso. A indústria deve ter mais um ano ruim, o que não favorece a reação da economia e ainda pode gerar mais desemprego. Eu volto na segunda. Até lá.


FONTE: ECONOMIA EM 2016, AUMENTO DO DESEMPREGO, CRISE CHINESA EM 2016, RETROCESSO NA INDÚSTRIA BRASILEIRA, QUEDA DA ATIVIDADE INDUSTRIAL, IMPOSTOS, GOVERNO DILMA / PT

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

VINICIUS TORRES FREIRE / É MELHOR ESPERAR PARA COMPRAR CARRO OU IMÓVEL - JANEIRO DE 2016




"Hoje saíram duas notícias da economia que podem ser importantes diretamente para o seu bolso. As notícias da economia são, para variar, ruins. Mas você pode tirar alguma vantagem de prestar atenção nelas.

Primeiro, a venda de carros caiu tanto, mas tanto, em 2015, que ficou parecida com a de 2007, 2008. O número de veículso vendidos no ano passado caiu mais de um quarto, quase 27%. Em 2012, melhor ano, venderam-se 3,8 milhões de veículos novos. No ano passado, foram 2,6 milhões. Uma baixa de mais de 1,2 milhões.

E daí? Daí que, diante desse desastre, o governo, as montadoras de carros e as revendedoras estão elaborando algum plano para aumentar as vendas. O plano não está fechado, mas tem a ver com crédito mais fácil e uso de veículos usados em condições vantajosas, na compra. O plano pode ser anunciado até o final de janeiro. Logo, se você está pensando em comprar um carro, melhor esperar e ver se aparece alguma condição vantajosa.

Segundo, o preço dos imóveis em São Paulo caiu muito, na média, em 2015. Se descontada a inflação do ano, o preço médio do metro quadrado caiu 8%. Os imóveis ainda estão caros, mas estão menos caros. O preço deve cair mais este ano? Provável que caia mais um pouco.

E daí? Mesmo para quem não está pensando em comprar, a informação é importante. Preço em baixa significa que está sobrando imóvel. Se está sobrando, o preço do imóvel alugado também tem de melhorar. Se você paga aluguel, pense em se mudar ou ameace se mudar e renegocie o seu preço. O dono do imóvel tem de pensar no caso, pois ficar com casa ou apartamento vazio, sem alugar, é um imenso prejuízo.

Para quem quer comprar, talvez ainda seja o caso de esperar. Os preços ainda podem cair neste ano. Além do mais, os juros estão altos. Mesmo se você não pegar financiamento, é melhor deixar seu dinheiro rendendo um pouco mais de juros.

A situação não está fácil. A gente tem de pensar ainda mais em cada gasto, do pequeno ao grande. Pensar muito. Bom 2016."




MARCADORES: MERCADO IMOBILIÁRIO, IMÓVEIS, IMOBILIÁRIAS, VENDA DE IMÓVEIS EM, ALUGUEL DE IMÓVEIS EM, PERUÍBE, PERUIBENSE, VALE DO RIBEIRA, VALERIBEIRENSE, ANA DIAS, ITARIRI, ITARIRIENSE, PEDRO DE TOLEDO, PEDROTOLEDENSE, MIRACATU, MIRACATUENSE, JUQUIÁ, JUQUIAENSE, REGISTRO, REGISTRENSE, IGUAPE, IGUAPENSE, ILHA COMPRIDA, ILHACOMPRIDENSE, SETE BARRAS, SETEBARRENSE, PARIQUERA-AÇU, PARIQUERENSE, JACUPIRANGA, JACUPIRANGUENSE, CANANÉIA, CANANIENSE, BARRA DO TURVO, BARRATURVENSE, CAJATI, CAJATIENSE, IPORANGA, IPORANGUENSE, ELDORADO, ELDORAENSE, CURITIBA, CURITIBANO, BRASIL, BRASILEIROS

LINHA DE ÔNIBUS É SUSPENSA E PREJUDICA USUÁRIOS DA REGIÃO - JANEIRO DE 2016




Pelo menos mil passageiros utilizavam por dia a linha 926 da Valle Sul, que circulava por 6 cidades da Baixada Santista


ALYNE ISABELLE - COLABORADORA


Uma linha de ônibus que possibilita o acesso dos usuários a seis dos nove municípios da Baixada Santista parou de circular. Com isso, pelo menos 1.050 passageiros que utilizavam diariamente a linha 926 da empresa Valle Sul (antiga Intersul) estão com o acesso ao trabalho, estudos e consultas médicas comprometido.

A 'dor de cabeça' começou na virada do ano, quando a linha deixou de operar com destino a Santos, Peruíbe, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande e São Vicente. Apesar dos usuários do coletivo terem outras opções de deslocamento, a linha era a mais amigável para o bolso. Enquanto em outros serviços a viagem (ida e volta) ultrapassa os R$ 20, com o 926 o valor pago por duas passagens é de R$ 8,60.

Além do preço menor do que o cobrado por outras operadoras, o ônibus da Valle Sul contava ainda com acesso funcional do passe livre.

Com o cancelamento do serviço, 2016 começou difícil para o estudante do curso de Análises de Sistemas Isaías dos Santos Roberto, de 18 anos. Ele mora em Mongaguá e precisa, diariamente, ir a Santos.

Logo na primeira segunda-feira (4) do ano, a caminho do trabalho, o universitário teve uma surpresa desagradável. O ônibus não apenas demorou muito mais do que o habitual, como não passou em nenhum momento.

E embora a confirmação do cancelamento do transporte tenha sido feita a ele pelo telefone, por um atendente da Valle Sul, uma ligação para a Central da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU) desmentiu tal informação e ressaltou, na ocasião, que o transporte seguia funcionando normalmente.

"Eu estranhei a demora de mais de duas horas e tive a confirmação da suspensão. A princípio eu fiquei indignado, porque não tem como isso acontecer a gente. Eu não vou trabalhar mais, porque não tem como eu pagar a ida e a volta com outra empresa, que sairia R$ 20,30, ou seja, mais de R$ 500 ao mês. E agora, como é que vai ficar? Tenho direito ao passe livre, mas vai ficar complicado, pois não tem nenhum ônibus ideal, por causa da demora, baldeação", relatou o estudante.

Também moradora de Mongaguá, Joice Marçal de Oliveira, de 26 anos, enfrenta o mesmo dilema. Ela estuda e trabalha como a auxiliar de cobranças em Santos.

Joice afirma que utilizar outras opções de transporte resultaria em uma viagem de mais de duas horas, sem contar a baldeação. "É um sentimento de humilhação, porque a região sofre com a ausência de emprego. E por causa da ineficácia problema no transporte, somos mau vistos, porque muitas vezes chegamos atrasados e os empregadores não entendem. Às vezes ficamos mais de três horas no ponto. A solução é pegar um similar muito mais caro e mesmo assim chegar atrasado do mesmo jeito", desabafa.

Não foi autorizado

Questionada, a EMTU informou, por meio de nota, que não autorizou a paralisação da linha 926. E ,em uma fiscalização realizada na segunda-feira (4), constatou o não cumprimento dos horários programados por parte da própria operadora.

A empresa confirma que a Valle Sul Serviços foi autuada e solicitada a regularizar a operação. O comunicado da EMTU segue e confirma que novas fiscalizações serão realizadas na linha em questão com o objetivo de coibir procedimentos irregulares. As datas, no entanto, não foram divulgadas.

Alternativas para usuários

Ainda de acordo com a EMTU, como alternativa, os usuários podem utilizar a linha 905EX1, da Viação Piracicabana, que sai de Peruíbe com destino a Praia Grande - com integração às linhas intermunicipais no Terminal Tatico - onde possibilita o deslocamento com destino a São Vicente, Santos e Cubatão.

Outra opção oferecida pela empresa é a linha 910 (Breda), de característica seletiva, que realiza o trajeto entre Peruíbe (Terminal Rodoviário) e Santos (Terminal Rodoviário).

A expectativa, segundo a empresa, é de que até abril deste ano, o Consórcio BR Mobilidade, responsável pela operação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e das linhas metropolitanas da Baixada Santista, entregue à EMTU um plano operacional envolvendo todas as linhas intermunicipais da região que comece a funcionar ainda neste ano.

Valle Sul

Funcionários da empresa Valle Sul não foram encontrados para comentar o caso. Porém, durante a apuração, a Reportagem confirmou que o serviço ao transporte da linha informada foi realmente cancelado, desde o dia 1º deste mês, sem previsão de voltar operar. Por telefone, uma atendente da Valle Sul afirmou que a empresa ainda não teria recebido a notificação da EMTU sobre a situação.



FONTE: A TRIBUNA


MARCADORES: ÔNIBUS, TRANSPORTE PÚBLICO INTERMUNICIPAL, BAIXADA SANTISTA

OBRA DO VLT (VEÍCULO LEVE SOBRE TRILHOS) NA BAIXADA SANTISTA ESTÁ ATRASADA - JANEIRO DE 2016



MARCADORES: BAIXADA SANTISTA, TRANSPORTE INTERMUNICIPAL, TREM, VLT / VEÍCULO LEVE SOBRE TRILHOS, REFORMA DA LINHA FÉRREA, BERTIOGA, GUARUJÁ, SANTOS, SÃO VICENTE, PRAIA GRANDE, CUBATÃO,  MONGAGUÁ, ITANHAÉM, PERUÍBE

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

NA MAIOR CIDADE DO BRASIL, 2016 COMEÇA COM FILAS EM BUSCA DE EMPREGO - JANEIRO DE 2016




Em São Paulo, a maior metrópole do Brasil, o primeiro dia útil da semana foi movimentado nas agências de emprego, com filas imensas. Mas vai dizer pra algum petista que o vídeo acima demonstra o quanto a crise brasileira é grave. Vai dizer que a crise não existe, que o fato vale menos do que algum discurso despirocado da Dilma. Neste ano a companheirada subirá pelas paredes, o choque de realidade será muito duro para essa turma.


POSTAGEM RECOMENDADA: A CRISE É CULPA DO AÉCIO: IDEOLOGIA E DISSONÂNCIA COGNITIVA



MARCADORES: DESEMPREGO NO BRASIL EM 2016, BRASILEIROS PROCURANDO EMPREGO, DESEMPREGO NA CIDADE DE SÃO PAULO EM 2016, PAULISTANOS DESEMPREGADOS, AGÊNCIAS DE EMPREGO LOTADAS, BRASILEIROS / PAULISTANOS DESEMPREGADOS