domingo, 14 de novembro de 2010

TRACY CHAPMAN, LÁ NOS ANOS OITENTA, ME FALAVA DE UM FAST CAR


Ela me dizia, naqueles bons tempos da Peruíbe dos anos oitenta, que eu precisava de um FAST CAR, ou seja, de um CARRO RÁPIDO para sair daqui. Escutava mas não compreendia. Intuia que ela falava de coisas sérias mas não me preparava para um futuro sombrio, que é este século XXI, nada maravilhoso para esta cidade, e que me deu muitos sofrimentos.

Continuo sem um carro rápido para partir. Mas um dia, se nada nesta terra mudar, partirei nem que seja a pé, e tirarei até a terra dos meus sapatos.

Muitos assim fizeram e jamais se arrependeram.


Nenhum comentário: