quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

VINICIUS TORRES FREIRE / PACOTINHO DE CRÉDITO, NO MÁXIMO, SERÁ REMENDO - JANEIRO DE 2016




Amanhã pode ser dia de o governo anunciar um pacotinho de crédito. Quer dizer, medidas para facilitar empréstimos pessoais, crédito para comprar casa, capital de giro para pequenas e médias empresas, crédito especial para empresas que vendem lá fora, que exportam.

Pode não sair tudo amanhã, mas o governo deve dar as linhas gerais da coisa na reunião do Conselhão. O Conselhão é o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, um grupo de empresários, banqueiros, sindicalistas e representantes de movimentos sociais convocados pelo governo da dar sugestões.

Pois bem, o que o governo pode anunciar de prático, para o comum dos mortais? Pode permitir que as pessoas usem parte do FGTS como garantia para um empréstimo. Isto é, se a pessoa dá calote, não paga o empréstimo, o dinheiro do FGTS cobre o calote. Qual a vantagem? Tendo uma garantia tão boa, o empréstimo fica mais fácil e mais barato.

O governo também quer dar um jeito de fazer com que os bancos públicos facilitem o empréstimo para pequenas e médias empresas, dinheiro para capital de giro: aquele usado para pagar fornecedores e necessidades do dia a dia da empresa.

O governo pretende também dar um jeito de facilitar o crédito para a compra de casas, que caiu mais de 30% no ano passado.

Vai ter algum resultado, se sair do papel? Talvez impeça a recessão de piorar um pouquinho, lá pelo final do ano, se tudo der certo. O problema da economia brasileira não está aí. Aliás, tem muita gente que nem quer pegar dinheiro emprestado, com medo do futuro. As taxas de juros subiram. Para as pessoas físicas, eram na média 64% ao ano, em dezembro. Um ano antes, 50%. Pela primeira vez em pelo menos 10 anos, o total de dinheiro emprestado no país diminuiu. Os bancos têm receio de emprestar, menos gente pode tomar emprestado.

O buraco do Brasil é mais embaixo. O país precisa de mudanças maiores. Se o pacotinho de crédito sair do papel, será um remendo. No máximo.


MARCADORES: PACOTE DE CRÉDITO, FGTS, EMPRÉSTIMOS PESSOAIS, TAXA DE JUROS, BRASIL, BRASILEIROS, GOVERNO DILMA /PT

Nenhum comentário: