segunda-feira, 6 de março de 2017

DENISE CAMPOS DE TOLEDO / O CENÁRIO DO EMPREGO NO PAÍS - MARÇO DE 2017



Passado o Carnaval, o ano começa pra valer, e aumenta mesmo a procura por emprego, o que deve fazer até com que a taxa de desemprego cresça. Mesmo com o avanço que teve no ano passado, a taxa não mostrava as pessoas que não estavam procurando uma colocação, por desalento, por esperar a virada do ano, são milhões de brasileiros nessa situação. Estamos melhores que no começo de 2016, quando não se tinha previsão de reversão da crise. Agora, o mercado até aumentou um pouquinho, a previsão do PIB deste ano, para 0,49%. Mas não adianta falar em perspectivas melhores. Os empresários só vão voltar a contratar quando tiverem segurança da retomada de atividade. E os dados ainda são muito inconsistentes. Por isso o governo tenta estabelecer uma agenda mais positiva, para impulsionar a economia ainda em 2017. Sendo que para o governo, produzir bons resultados, não é só uma questão de mostrar competência na gestão da economia, também tem a questão política. A agenda econômica pode desviar um pouco o foco do noticiário das denúncias e delações. O governo tem apresentado propostas que não agradam muito, como a reforma da Previdência, a contenção de despesas, o corte de estímulos. Os incentivos vão até certo ponto. Liberou as contas inativas do FGTS, porque isso não entra nas contas públicas. Mas não corrigiu a defasada tabela do imposto de renda, porque isso provocaria perda de Receita. A estratégia é fazer com que uma gestão mais responsável da economia, inclusive com essas propostas impopulares, consiga colocar a casa em ordem, estabelecendo um ambiente de maior confiança, que assegure depois a retomada mais firme do crescimento. E, à partir daí, poderá agradar mais a população. É conferir o que virá de concreto. Amanhã vai anunciar, de novo, um pacote de concessões para projetos que envolvem as áreas de transporte e energia e podem atrair uns R$ 45 bilhões de reais. Vamos ver se dessa vez sai com a rapidez necessária, não só pelos investimentos que são importantes, mas também pra gerar atividade, emprego, melhorar a infraestrutura do País, acabando com barbaridades como a perda de safra agrícola, que vimos nas últimas semanas, com milhares de caminhões presos no atoleiro, nas só das estradas do Centro Oeste, mas da incompetência dos nossos governantes. Eu volto na quarta. Até lá.


POSTAGEM RECOMENDADA: COMO SUBSTITUIR A CLT


MARCADORES: DESEMPREGO NO BRASIL EM 2017, DESEMPREGADOS BRASILEIROS, DESEMPREGADOS EM PERUÍBE / 2017, DESEMPREGADOS PERUIBENSES, PERUIBANOS, RECUPERAÇÃO ECONÔMICA

Nenhum comentário: